“Love’s Gone To Hell” – Doro Pesch (Official Video)

Love's Gone To Hell

Love’s Gone To Hell

Sim, eu sei que sou fã de Doro Pesch. Muito. Se você já visitou o Rock Universe mais de uma vez, talvez deva ter visto algumas matérias sobre seu trabalho ou tags referentes. Só que essa mulher merece nossa reverência. Além de ser uma simpatia e atuar em causas nobres, é uma artista fantástica. Claro que sua beleza chama demais a atenção, isso não é novidade, mas quando o talento excede (e muito, muito mesmo) a média, isso se torna apenas um recurso secundário, opcional, reservado para fotos e vídeos.

O single Love’s Gone To Hell, que será lançado em 1º de abril, trata-se de uma power ballad de respeito, escrita por Doro e Andreas Bruhn, contando com os talentos individuais de Johnny Dee (bateria), Nick Douglas (baixo), Bas Maas (guitarra), Luca Princiotta (guitarra) e Harrison Young (teclado).

A Música (sim, “Música”, com inicial maiúscula) combina uma linha vocal cativante (e convenhamos que o timbre da Metal Queen continua lindo, hipnótico), guitarras com arranjo e peso dramáticos, típicos do estilo, baixo e bateria que apontam a direção e martelam o ritmo de maneira eficaz, remada a remada, sem firulas e de maneira firme, além de uma introdução de piano cujo tema funciona como um gatilho emocional, nos conduzindo do início ao fim, principalmente quando o mesmo mescla-se naturalmente ao teclado que permeia toda a harmonia.

Essa nau artística capitaneada por Doro Pesch, parece ter conseguido transpor conceitos dos anos 80 diretamente para 2015/2016, com as devidas repaginações, recriando algo atual, musicalmente majestoso. Se você tiver um pingo de dramaticidade Rock N Roll nas veias, essa música vai lhe dizer algo. A progressão harmônica preenche seus sentidos e toca sua alma. A própria Doro declarou que considera essa música algo no mesmo nível de hinos como “All We Are”, “Für Immer” e “Love Me In Black”.

Ainda sobre o lançamento, ele terá mais de uma versão: uma em vinil e também um 6-Track Maxi Single, com 3 versões de “Love´s Gone To Hell” (single, radio e demo edit), o dueto com Lemmy e duas faixas ao vivo “Rock Till Death” (dueto com Hansi Kürsch, do Blind Guardian) e “Save My Soul”. Vejam o resumo logo abaixo.

Doro 2016

Doro 2016

Limited Edition Vinyl Single
Side A
01. Love´s Gone To Hell
Side B
02. It Still Hurts (um dueto de Doro com Lemmy)

“Love´s Gone To Hell” – Maxi Single
01. Love´s Gone To Hell (Radio Version) – 03:28
02. Love´s Gone To Hell (Single Version) – 04:13
03. It Still Hurts (feat. Lemmy Kilmister) – 04:06
04. Rock Till Death (Live) – 03:59
05. Save My Soul (Live) – 03:37
06. Love´s Gone To Hell (Original Demo Version) – 04:54

Voltando ao novo vídeo, algo também me remeteu aos anos 80: há uma história em andamento. Imagens da banda tocando em um salão do castelo de Bückeburg (com cerca de 700 anos, na Alemanha), são intercaladas por cenas que contam a trágica trajetória de um casal contemporâneo, ambos visualmente do meio Rock, interpretados por Pascal Hauffe e pela própria Doro Pesch.

O enredo é a narrativa de uma relação que se desenvolve do Amor ao abuso, onde a vocalista acaba dando uma pista do quanto está engajada na causa das mulheres, sem falar que o próprio nome da música ganha sentido conforme ouvimos a letra e assistimos o clip. Para quem não sabe, conforme citei em outras matérias, além de atuante junto ao PETA, ela também participa da Terre de Femmes, uma ONG ligada à denúncia e proteção de mulheres, da qual é embaixadora desde 2009. Ao longo do vídeo, a personagem dela toma decisões confusas, boas e ruins, como é bastante comum de se ver em situações de abuso físico e emocional. Uma história pesada e realista.

Tratando-se de uma artista de extremo bom gosto, logicamente o resultado do clip é um belo trabalho da DLuxe Media, com produção e direção de Tobias Langer. O jogo de luzes, fotografia, cortes, a proposta em si, tudo me agrada (talvez por ser parte do meu direcionamento visual, vai saber). Recomendo que assistam, sintam e entendam porque ninguém se torna Metal Queen do dia pra noite.

Fontes & Referências
http://www.doromusic.de/news_en.php
http://www.nuclearblast.de/en/label/music/band/news/details/4259655.71109.doro-video-premiere-039-love-039-s-gone-to-hell-039.html

http://www.blabbermouth.net/news/video-premiere-doros-loves-gone-to-hell/
http://www.metal-hammer.de/doro-video-premiere-zu-loves-gone-to-hell-601959/
http://www.goettinger-tageblatt.de/Goettingen/Uebersicht/Goettinger-Agentur-produziert-Video-und-neue-Single-von-Doro-Pesch
https://www.facebook.com/DoroPeschOfficial/
https://www.facebook.com/DoroPeschOfficialGerman/ 
http://www.dluxe-media.de/

The Ace Of Spades Rock Party comemora, no Inferno Club, 1 ano de Rock no coração da Rua Augusta

É curioso ver algo feito na raça, na contramão comercial de tudo, pelo mais puro e simples amor ao Rock N Roll, completar 1 ano de existência. Rodrigo Branco, o criador da festa, eu já conhecia como DJ de outras festas e locutor da Kiss FM. Conversávamos raramente pelo Facebook, uma vez ou outra pessoalmente, e percebi que ele sempre me parecia empenhado em divulgar a cultura Rock, indo além dos clichês em suas discotecagens, incentivando também bandas autorais novas do Brasil. “Até onde ele está disposto a ir com isso?” eu me perguntava. A resposta não demorou muito: The Ace Of Spades Rock Party.

The Ace Of Spades Rock Party

The Ace Of Spades Rock Party

Também tem sido uma experiência incrível acompanhar isso de perto desde o começo, ainda no Spades Café SP. Não me lembro exatamente como aconteceu, mas quando surgiu a primeira edição, no começo de 2015, publiquei o primeiro de uma série de releases sobre a festa.
Acompanhei várias edições de perto, as 10 primeiras para ser exato e depois – por questões profissionais externas, como horários em meus empregos “convencionais” – algumas soltas aqui e ali, fosse escrevendo, divulgando, fotografando ou tudo isso junto.

The Ace Of Spades Rock Party

The Ace Of Spades Rock Party

 

Vivenciar isso de perto, seja do jeito que for, é algo que eu recomendo a qualquer um que deseje trabalhar na noite ou entender um pouco da dinâmica envolvendo casas, bandas, DJs e a vida na madrugada musical, ainda mais na cena Rock. Você acompanha os bastidores de muita coisa, desde questões técnicas, pessoais, musicais até os relatos finais após cada balada, com todos os seus altos e baixos.

Uma das coisas que aprendi – e eu sei que já falei isso em outras matérias – é que, a despeito de estilos, formas de pensamento, local de origem, é normal que os envolvidos tenham algum nível de paixão por aquilo, por estar ali, discotecando, se apresentando ao vivo com sua banda ou abrindo chance para mais uma iniciativa em seus bares. Existe sim uma demanda material, mas a premissa é ter tesão por toda essa loucura.

The Ace Of Spades Rock Party

The Ace Of Spades Rock Party

Desde a primeira edição, inaugurada pelos divertido e talentoso quarteto, Reverendo Frankenstein, mais de 50 bandas honraram a festa: Estiletes, Belfast, Aletrix, SUN, Mariachiis, Asteroides Trio, The Red Lights Gang, Antioxidante, H-521, Emicaeli, Misconducters, Kamboja, Filhos de Inácio, Donalaíde, Goatlove, Achromaline, Hummo, Stand Free, Sobre Amor e Outras Coisas e outras dezenas de bandas dispostas a fazer a diferença.

Pude assistir boa parte dessas bandas ao vivo na festa e não me arrependo, muito pelo contrário: pude constatar que entre todas as variações dentro do Rock, há MUITA gente capacitada para levar o legado adiante, acreditem.

Considerações feitas, vamos ao que interessa: hoje, 11/03, a The Ace Of Spades Rock Party comemora, Inferno Club, 1 ano de existência.

A festa conta com a presença dos DJs Joe Klenner (Glam Nation), Lady Rocker (Overdose Party), Arthur Cocev (Corazones Muertos), Rodrigo Branco (Kiss FM) e teremos 4 das bandas que fizeram parte da história da The Ace Of Spades Rock Party. Como se não fosse o bastante, vai rolar a participação mais que especial de Dean Jones, vocalista da banda inglesa Extreme Noise Terror, que vai fazer uma jam session com a Corazones MuertosO palco fica assim:

Reverendo Frankenstein – Adoro o som desses caras. Sabe quando uma banda claramente se prepara para o seu público nos mínimos detalhes? Trajados em suas roupas de padre (sim, você leu certo), com uma marcante presença de palco, carisma e bom humor, eles misturam Rockabilly, Surf Music e Punk Rock para dar vida a um Psychobilly divertido e empolgante. Conhecia pouca coisa antes de ver o primeiro show, há mais de 1 ano, mas depois disso, virei fã.

Sobre Amor e Outras Coisas – Essa foi uma grata surpresa. Não sabia ao certo o que esperar, eles seguem uma linha que não costumo acompanhar e, no final das contas, mostraram um som profundo, com identidade, cativante em letras e harmonias. Segundo eles próprios, suas influências são Britrock, Tropicália, Folk e música mineira. Conheci ao vivo e na mesma noite passei a gostar. Uma das coisas mais legais no Rock reside nessa pluralidade, em todas essas possibilidades que podem nos agradar se tivermos a dignidade de praticarmos o que pregamos na cena: não conhece? Então ouça! Foi assim que coloquei mais essa banda brasileira em minhas playlists.

Mariachiis – O que dizer desses sujeitos pra lá de simpáticos que conseguem uma liga perfeita entre peso, lirismo e criatividade? Eles têm algo em suas músicas que evidencia a música enquanto veículo da Arte. As temáticas se mesclam cirurgicamente entre letras, batidas e riffs que nos deixam entre a curtição e a reflexão. E isso é maravilhoso. Como eles mesmos dizem: “Poesias urbanas e harmonias criativas. Diversion y Fúria!”

Asteroide Trio – “Garage Rock, Rockabilly, Psychobilly, Punk Rock, Surf Music, Quadrinhos Alternativos,
Filmes B…” – Olha, se isso não é um convite ao bom gosto, não sei o que poderia ser. Entre influências musicais e de cultura pop, o trabalho do trio cumpre a proposta, fazendo um som perfeitamente calibrado com para quem gosta de dançar ao som de um Rock retrô.

Dean Jones + Corazones Muertos – Jam Session especial pra fazer o Inferno Club tremer!

The Ace Of Spades Rock Party

Ace

A comemoração da The Ace Of Spades Rock Party ainda homenageia aquele que inspirou a festa, o eterno ícone Lemmy Kilmister, do Motörhead: será o lançamento do drink Lemmy, novo nome oficial do Jack N Coke, sua bebida favorita que vai estrear no cardápio do Inferno Club e já com promoção de Double Lemmy de 0h a 1h.
Também vai rolar o sorteio de uma tatuagem na Oval Tattoo no valor de R$ 200,00.

Serviço
Endereço: Rua Augusta, 501, Consolação, São Paulo.
Tel.: (11) 3120-4140.
Data: Sexta (11/03), a partir das 22h.
Lista até 0h: R$ 20,00 entrada ou R$ 40,00 consumação.
Lista após 0h: R$ 25,00 entrada ou R$ 50,00 consumação.
E-mail: lista@infernoclub.com.br (Assunto: Ace Of Spades).
Sem lista: R$ 30,00 entrada ou R$ 60,00 consumação.
Camarote Open Bar: R$ 65,00 (Reservas: lista@infernoclub.com.br).
(Atenção: Camarote Open Bar com promoção limitada a 40 pulseiras)
Apoio: Rádio Kiss FM.
– Aniversariante da semana e acompanhante são VIPs, e levando 15 convidados pagantes, ganha uma garrafa de vodka Skyy. Lista para lista@infernoclub.com.br até as 21h.
18+: Proibida a entrada de menores de 18 anos e pessoas sem documento de identificação original oficial e com foto recente.

Mais sobre as bandas:
https://www.facebook.com/ReverendoFrankenstein/
https://www.facebook.com/mariachiis/
https://www.facebook.com/saeoc
https://www.facebook.com/AsteroidesTrio/
https://www.facebook.com/corazonesmuertosband/
https://www.facebook.com/extremenoiseterroruk/

Fontes & Referências
http://www.infernoclub.com.br/
https://brancojukebox.wordpress.com/
http://www.desapimentado.blogspot.com.br/2016/03/inferno-club-celebra-the-ace-of-spades.html
http://saopaulotimes.r7.com/sp/newsdino/?title=festa-resgata-o-rock-autoral-na-cena-paulistana&partnerid=1275&releaseid=69407
http://www.fenaj.org.br/releases.php?title=festa-resgata-o-rock-autoral-na-cena-paulistana&partnerid=41&releaseId=69407
http://www.midiapaulistana.com.br/release/exibirrelease?title=festa-resgata-o-rock-autoral-na-cena-paulistana&partnerid=8&Id=69407
http://portal.comunique-se.com.br/index.php?title=festa-resgata-o-rock-autoral-na-cena-paulistana&partnerid=33&option=com_dino2&releaseid=69407
https://www.mundodomarketing.com.br/index.php/dino/release?title=festa-resgata-o-rock-autoral-na-cena-paulistana&partnerid=65&releaseid=69407
http://www.mancheteexpressa.com.br/release/exibirrelease?title=festa-resgata-o-rock-autoral-na-cena-paulistana&partnerid=52&Id=69407
http://www.pautacarioca.com.br/release/exibirrelease?title=festa-resgata-o-rock-autoral-na-cena-paulistana&partnerid=9&Id=69407
http://www.nordestenews.com.br/release/exibirrelease?title=festa-resgata-o-rock-autoral-na-cena-paulistana&partnerid=6&Id=69407
http://primeoffer.com.br/dino/festa-resgata-o-rock-autoral-na-cena-paulistana-69407.html
http://pordentrodeminas.com/newsdino/?title=festa-resgata-o-rock-autoral-na-cena-paulistana&partnerid=1345&releaseid=69407
http://www.cartajornal.com.br/release/exibirrelease?title=festa-resgata-o-rock-autoral-na-cena-paulistana&partnerid=7&Id=69407
https://www.facebook.com/Oval-Tattoos-463514293832434

Rebel Rebel – Festa inspirada em David Bowie é sensação em São Paulo

Contando com a participação dos DJs Rodrigo Branco (Kiss FM), Sammy Glitz, Humberto Luminati, Diego Barezi e Angelo Malka, balada com nome de música emblemática de David Bowie é a nova aposta do Inferno Club, nas noites da Rua Augusta, em São Paulo.

DJ Rodrigo Branco na festa Rebel Rebel

DJ Rodrigo Branco na Rebel Rebel (Foto: Cauê Andruskevicius)

A proposta dos DJs da Rebel Rebel, que já está em sua segunda edição, é agitar a noite com o que há de melhor no Rock e no Pop dos anos 80, mas também dos anos 70, 90 e 2000.
Seus sets combinados cobrem sucessos de artistas consagrados, como Ramones, James Brown, Sex Pistols, Iggy Pop, Joan Jett, The Killers, Amy Winehouse, The Smiths, Talking Heads, Arctic Monkeys, Joy Division, A-Ha, The Cure, AC/DC, Kiss, Madonna, REM, Duran Duran, Red Hot Chili Peppers, New Order, Blur, Guns N Roses, Camisa de Vênus, Bad Religion, Black Keys, The Clash, Depeche Mode, Capital Inicial, White Stripes, Bon Jovi, Legião Urbana, Kings Of Leon, Blondie, Green Day, Jet, QOTSA, Ira!, Stray Cats, U2, Michael Jackson e, naturalmente, o ícone e inspirador da festa: o saudoso e genial David Bowie.

Esses são alguns sons que fazem parte do repertório da Rebel Rebel, abrangendo quatro décadas de hits que marcaram época na história da música. Nesta edição, a Rebel Rebel ainda apresenta ao vivo a Classical Queen, uma fantástica banda tributo dedicada ao legado inesquecível do Queen.

Serviço
Endereço: Rua Augusta, 501, Consolação, São Paulo.
Tel.: (11) 3120-4140.
Data: Sábado (05/03), a partir das 23h30.
Lista até 1h: R$ 20,00 entrada ou R$ 40,00 consumo.
Lista após 1h: R$ 25,00 entrada ou R$ 50,00 consumo.
lista@infernoclub.com.br
Sem lista: R$ 30,00 entrada ou R$ 60,00 consumo
Camarote Open Bar R$ 70,00.
Reservas para Open Bar pelo e-mail: lista@infernoclub.com.br e no assunto: Open Rebel.
Apoio: Rádio Kiss FM.
Promoções
– Double Vodka: 23h30 – 1h
– Double Jager: 3h – 4h
– Aniversariante da semana e acompanhante são VIPs, e levando 15 convidados pagantes, ainda ganha uma garrafa de vodka Skyy. Lista para lista@infernoclub.com.br até as 21h.
Atenção: É proibida a entrada de menores de 18 anos (mesmo acompanhado dos pais). Necessária a apresentação de documento oficial original e com foto recente.


Fontes & Referências

DC Entertainment lança EP com 3 faixas para promover HQ da Canário Negro

Como a personagem Black Canary, da Liga da Justiça, resolveu sair em turnê com sua banda (que também leva o seu nome), a DC Comics lançou um EP real com 3 músicas tocadas pela banda fictícia para promover a revista com o projeto solo da heroína-vocalista, BLACK CANARY VOL. 1: KICKING AND SCREAMING 
 
Black_Canary_DC_ComicsIntitulado apenas “EP 1“, o trabalho foi feito por Brenden Fletcher (roteirista da própria Black Canary), Michelle Bensimon (vocal/guitarra da Caveboy) e pelo produtor Joseph Donovan, que é coautor de duas das três faixas.
 
Fish Out Of Water“, “Old World” e “The Man With The X-Rays” – essa última um cover da banda Bauhaus, do álbum “Mask” (1981) – compõem o “trabalho desenvolvido” pela Black Canary.
Cá entre nós? Gostei demais, baita som com pegada de anos 80, uma mistura de atmosferas de Goth, New Wave, Electropop, enfim, acho que deu pra entender. Logo abaixo o player com as faixas, ouça e tire suas conclusões.


Fontes & Referências
http://www.hollywoodreporter.com/heat-vision/dc-entertainment-releases-3-track-872245
http://www.dccomics.com/graphic-novels/black-canary-vol-1-kicking-and-screaming
http://blackcanary.bandcamp.com/
http://receivers-mtl.bandcamp.com/releases
https://caveboy-music.bandcamp.com/

REDENÇÃO” – Novo clipe da TREZZY

TREZZY - REDENÇÃO

Redenção

Quando uma banda foda faz questão de manter o padrão até em seus vídeos, o prazer ao curtir o trabalho dos caras é redobrado. E a Trezzy é uma das bandas brasileiras que melhor se encaixa nessa categoria: músicas, letras e vídeos que realmente se completam e dizem algo.

Com as recentes mudanças na formação (no baixo, saiu Henrique Baboom e entrou Rodrigo Cascelli; na guitarra, saiu Jack Fahrer e entrou Alexandre Novaes) é interessante ver que a dinâmica interna está preservada. Aliás, essas mudanças foram exemplarmente amistosas, com demonstrações públicas de Amor e Respeito entre seus integrantes, algo que valorizo demais e não poderia deixar de citar. No clipe ainda vemos o Jack e o Rodrigo já integrado como um novo “Trezzie”.

Psycho Clown

Psycho Clown

Já escrevi algumas vezes sobre eles e sei que falar bem de suas músicas e clipes é chover no molhado, mas preciso fazer isso, pois a Trezzy mantém o naipe alto de sempre: produção impecável, conceito visual bem estruturado e, musicalmente, performances individuais onde todos se completam, entregando um som coeso, extremamente bem feito e pronto para chamar atenção no melhor sentido possível.

Psycho Clown da banda Trezzy

Psycho Clown – Trezzy

E por falar em conceito visual bem estruturado, o palhaço assustador continua rondando seus clipes – personificado por Ma Giovananni, organizador do Base Rock (movimento de bandas autorais do qual a Trezzy faz parte – coloquei links ao final da matéria para quem não conhece) e um dos sujeitos mais figuras que conheço dentro da cena Rock. Não lembro de ver alguém dar nome ao personagem, mas acho que já está merecendo. Quando escrevo ou comento com alguém, sempre me refiro a ele como “Psycho Clown”. Acho muito foda a ideia desse palhaço, que é claramente uma assinatura do Joonior Joe, vocalista e fã mais que declarado dessa temática.

Tocando novamente na questão musical o que ainda preciso muito dizer é: puta que pariu, viu? Que vibe perfeita, que equação musical incrível vocês continuam sendo, Trezzy! Típica banda em que aperto o play sem receio, confiante de que sempre vem coisa boa.

Pra finalizar, sobre o vídeo, o 4º feito pela banda, a produção e idealização é da própria Trezzy com a Foggy Filmes, sob direção de Junior Carelli e Rudge Campos. O trabalho de maquiagem (que eu também gostei demais) é da Niandra Costa. Agora chega de papo e vamos ao que interessa.

Fontes & Referências
https://www.facebook.com/trezzypage
https://rockuniverse.wordpress.com/tag/base-rock/
http://www.baserock.com.br/
https://www.facebook.com/baserock.sp/

REBEL REBEL – Nova festa no Inferno Club

REBEL REBEL INFERNO CLUB

A mais nova festa da Rua Augusta terá sua primeira edição no próximo sábado, 13/02, no Inferno Club: Rebel Rebel.

No palco vai rolar a banda Footloose e nas pickups, os DJs Rodrigo Branco (Kiss FM), Sammy GlitzHumberto LuminatiKaren Bachega Diego Barezi se alternam nos sons dos anos 70, 80, 90 e 2000.

Ramones, James Brown, Sex Pistols, Iggy Pop, Joan Jett, The Killers, Amy Winehouse, The Smiths, Talking Heads, Arctic Monkeys, Joy Division, A-Ha, The Cure, AC/DC, Kiss, REM, Duran Duran, Michael Jackson, Red Hot Chili Peppers, New Order, Blur, Guns N Roses, Camisa de Vênus, Bad Religion, Madonna, Black Keys, The Clash, Depeche Mode, Capital Inicial, White Stripes, Bon Jovi, Legião Urbana, Kings Of Leon, Blondie, Green Day, Jet, QOTSA, Ira!, Stray Cats e U2 são alguns sons que fazem parte dos sets da Rebel Rebel. Tudo isso começa às 23 horas e segue madrugada adentro. Sim, sim, é claro que vão tocar David Bowie.

A festa é nova, a casa todo mundo já conhece e a proposta de bom gosto musical é a mesma de sempre. Informações sobre valores, camarote open bar, promoções para aniversariantes e preços especiais com nome na lista, diretamente na página do evento: https://www.facebook.com/events/1654322738168329/

Fontes & Referências1-1-12654158_165391763837287_3011615318369238652_n-001
Fanpage da Rebel Rebel: https://www.facebook.com/RebelRebelRockParty
Fanpage do Inferno Club: https://www.facebook.com/InfernoClube
Site do Inferno Club: http://www.infernoclub.com.br/

R.I.P. Lemmy Kilmister – O Dia em que o Trovão silenciou

...

Lemmy se foi. Não há muito o que enfeitar sobre isso, é uma porrada real e certeira. Foram 70 anos de vida, mais de 50 como músico, 40 deles dedicados ao Motörhead. O homem era uma máquina de fazer Rock N Roll.

As primeiras 24 horas foram muito esquisitas. Abri e fechei o editor de texto várias vezes, simplesmente não sabia o quê ou como dizer. Nem mesmo se eu queria dizer algo, para ser bem honesto. Pouco dormi. Comi mecanicamente. Enquanto ouvia suas músicas na primeira madrugada após sua morte, eu tentava assimilar a perda. Pensava “outra baixa da magnitude de Ronnie James Dio em meu universo musical… vai ser assim?” – Como se houvesse alguma outra opção além de aceitar… que lendas sobrevivem apenas em nossas lembranças, por mais que sejamos contemporâneos dos nossos mitos modernos. Caras como Lemmy tornam-se imortais em vida, nublando nosso discernimento para o óbvio: a Natureza tem suas leis a seguir, quer você queira, quer não. Vale para mim, vale para você e vale até mesmo para o adorado e “indestrutível” Lemmy.

De roadie do Jimi Hendrix, ao seu próprio lugar de direito como lenda viva do Rock, Ian Fraser “Lemmy” Kilmister trovejou em todos os palcos do mundo, trilhou praticamente todas as estradas da vida – as certas e as erradas – merecendo cada gesto de reconhecimento, cada grito, cada noite virada, cada brinde.

The Ace Of Spaces

The Ace Of Spaces

Divertido, mal-encarado, talentoso, beberrão, humilde, sem frescuras, porém educado, paciente e cordial. Não existe nenhum grande mistério quando você é uma pessoa espontânea e não fica forçando a barra, querendo parecer o que não é, nem bonzinho demais e nem malvado demais. Todos os relatos em primeira pessoa que chegaram a mim até hoje (infelizmente eu mesmo nunca pude conhecê-lo), dão conta de que ele era alguém que não ficava botando banca de grosso e valentão sem necessidade, ao contrário do que muitos acreditam e alguns até pensam estar imitando, sabe-se lá tentando provar o quê. Acho que ele daria umas boas risadas de algumas dessas pessoas e ficaria bem puto com outras.

Era perceptível em suas declarações, a postura de um homem que aprendeu ao longo de 7 décadas, que tudo que começa, acaba, tudo que sobe, desce. Aliás, não tem muito tempo, deixou claro com todas as letras que estava em Paz consigo e com o mundo, reconhecendo publicamente que não teria razão para temer a morte.

RIP Lemmy

Passados os excessos da juventude, Lemmy Kilmister só queria viver da melhor maneira que soubesse, mas sem abrir mão da simplicidade crua de sempre, que acabou lhe rendendo boa parte da fama. Curtir um som, rir, fumar, jogar, sair pra beber e transar. Apenas isso, sem delírios de grandeza. Se para nós, ele foi e será eternamente um ícone, mito, lenda, patriarca ou qualquer que seja o termo, isso é um problema nosso. Ele mesmo nunca se atribuiu a importância que teve ou ao menos nunca se comportou como se tivesse, muito pelo contrário. E isso fazia dele um sujeito ainda mais extraordinário. Nunca se importou em ser rico ou famoso, não era esse seu objetivo, foram apenas consequências. Só queria se divertir como o cara humilde que era e fazer com que nos divertíssemos tanto quanto ele, através dessa inexplicável energia chamada Rock N Roll. Pois saiba que você conseguiu, Lemmy. Missão cumprida.

Motörhead For Life. Lemmy Lives Forever. Rock In Peace, Lemmy… see ya.

Fontes & Referências
http://www.imotorhead.com/
https://www.facebook.com/OfficialMotorhead/
https://www.facebook.com/OfficialLemmy/
http://www.blabbermouth.net/news/motorheads-lemmy-dead-at-70/
http://www.rollingstone.com/music/news/the-tao-of-lemmy-18-great-quotes-from-the-motorhead-frontman-20151229
http://www.areah.com.br/vip/lemmy-kilmister/materia/123246/1/pagina_1/13-licoes-de-vida-de-lemmy-kilmister.aspx
http://www.mirror.co.uk/3am/celebrity-news/motorheads-lemmy-kilmister-playing-video-7085769