Archive for the ‘Plantão Rock Universe’ Category

Judas Priest lança vídeo oficial para “Lightning Strike“, música de seu novo álbum, “Firepower“, que será lançado em 9 de março de 2018. Rob Halford e Judas Priest mostrando, novamente, porque NUNCA deveriam ter se separado!

Capa de

Capa de “Firepower”, novo disco do Judas Priest

01 – “Firepower”
02 – “Lightning Strike”
03 – “Evil Never Dies”
04 – “Never The Heroes”
05 – “Necromancer”
06 – “Children of the Sun”
07 – “Guardians”
08 – “Rising From Ruins”
09 – “Flame Thrower”
10 – “Spectre”
11 – “Traitors Gate”
12 – “No Surrender”
13 – “Lone Wolf”
14 – “Sea of Red”

Advertisements

Estou devendo um trilhão de matérias no Rock Universe, mas essa daqui – mesmo em cima da hora – merece me trazer dos “mortos”, atropelar a pauta e entrar em caráter urgência máxima: BASE ROCK!

BASE ROCK: Mattilha, SUN, Burlesca, Trezzy, Shocker e Sioux 66

BASE ROCK:  MATTILHA, SUN, BURLESCA, TREZZY, SHOCKER & SIOUX 66!

Como o show acontece hoje, 20/09, aqui na Augusta, não vou divagar muito desta vez, por mais que cada uma das 6 bandas mereça bem mais de uma matéria. O que posso dizer antes de colocar o material oficial do projeto é: já assisti 3 delas ao vivo e não me arrependi – sendo que escrevi sobre duas e fiquei devendo uma terceira matéria. As outras 3, amigos de confiança assistiram e disseram o mesmo. E agora teremos todas juntas.

BASE ROCK

BASE ROCK

Claro que eu e vocês temos mais uma porrada de bandas fodas para sugerir ao Base Rock, mas vamos combinar que os caras já estão começando com 6 bandas TOP do Rock autoral nacional, um pessoal que ama, respira e vive o Rock ´N Roll 24h/dia, 7 dias por semana. Aqueles sujeitos que se não estiverem no palco, estão nos bares, na baladas, bebendo, conversando, apoiando e prestigiando outras bandas e iniciativas da cena Rock.

Bom, chega de papo e vejam logo abaixo, diretamente do site e da fanpage oficial, quem são, de onde vieram, o que pretendem, como pretendem e o que todos ganhamos, fãs, músicos e imprensa especializada, com a BASE ROCK.

PROJETO BASE ROCK

A BASE ROCK foi criada para reconectar o rock no cenário nacional e ampliar o espaço na mídia para novas bandas autorais. Através de ações conjuntas a marcas consagradas no mercado, a Base Rock vai movimentar o circuito paulistano com shows e apoio na divulgação deste segmento.

A iniciativa partiu das 6 (seis) bandas paulistanas, Mattilha, SUN, Burlesca, Trezzy, Shocker e Sioux 66, que no conjunto da obra, são grupos atuantes e comprometidos com a massificação desse movimento. Somos 30 músicos envolvidos diretamente com o projeto.

“JUNTOS, SOMOS MAIS!”
Com este sentimento de a união faz a força e, mais que isso, com o objetivo de abastecer o mercado musical com novas bandas autorais, cumprimos com a primeira etapa deste projeto, desenvolvendo o site da BASE ROCK, bem como as Redes Sociais, respectivamente.

1ª ETAPA
Um dos objetivos da BASE ROCK é organizar eventos periódicos a cada 40 dias, aproximadamente, em casas noturnas na capital paulista, mantendo parte do elenco de bandas que compõem a BASE ROCK e abrindo espaço para outros grupos de rock autorais. Em breve informaremos os critérios de envio de material e avaliação. A participação é destinada exclusivamente as bandas de Rock Nacional AUTORAL.

2ª ETAPA
Para sustentar a originalidade e o compromisso com as novas bandas de rock nacional autorais, será criada a RÁDIO BASE ROCK na web que, ao acessar o site do projeto, o internauta já estará sintonizado a programação.

3ª ETAPA
Faz parte deste projeto o Festival Itinerante intitulado FOME DE ROCK, cuja formatação, produção e logística já estão a todo vapor.

O Festival FOME DE ROCK terá cunho social, com previsão para os meses de novembro e dezembro deste ano. Os shows terão a participação das seis bandas envolvidas no alicerce da BASE ROCK e a seleção de bandas de rock nacional autoral que farão parte do festival. Estamos avaliando a possibilidade de uma atração de grande porte para impulsionar Festival Fome de Rock.
Em breve, informaremos todos os detalhes para a participação das bandas.

LANÇAMENTO DO PROJETO BASE ROCK
O Evento de lançamento do projeto BASE ROCK está marcado para o dia 20 de setembro de 2014 (sábado) na Hole Club no bairro dos Jardins, com apresentação do projeto, seguido de pocket show com as bandas envolvidas.

Todos que comparecerem no evento ganharão um Cd Promocional da BASE ROCK, contendo duas músicas de cada banda envolvida no alicerce do projeto.

A Assessoria de Imprensa responsável pela comunicação do Lançamento do Projeto BASE ROCK ficou a cargo da Perfexx Comunicação, empresa conceituada e nacionalmente conhecida no show business.

NÓS SOMOS A BASE ROCK!

Então galera, agora que conhecemos um pouco mais sobre o projeto, espero que todos apoiem e parem de reclamar que “não tem banda autoral boa na cena”. Tem sim e muitas, muitas mesmo. Um festival desses está com ingressos entre R$ 10,00 e R$ 20,00 e apresenta 6 bandas excelentes de gente que não está brincando de fazer Rock ´N Roll.

1º FESTIVAL BASE ROCK
Bandas: Sioux 66, SUN, Trezzy, Burlesca, Shocker e Mattilha
DJ: Rodrigo Branco (Kiss FM)
Local: Hole Club | Rua Augusta, 2203 – Galeria América – Subsolo | (11) 98117-9292
Dia: 20/09
Horário: 22h
Ingressos: https://ticketbrasil.com.br/festival/baserock-sp/
Site oficial: http://www.baserock.com.br/
Facebook: https://www.facebook.com/baserock.sp

As bandas no Facebook
Sioux 66: https://www.facebook.com/sioux66oficial
SUN: https://www.facebook.com/bandasun
Trezzy: https://www.facebook.com/trezzypage
Burlesca: https://www.facebook.com/bandaburlesca
Shocker: https://www.facebook.com/shockerbandoficial
Mattilha: https://www.facebook.com/BANDAMATTILHA

ROCK ON!

É isso mesmo: Lemmy resolveu liberar na íntegra o novo disco do Motörhead uma semana antes do seu lançamento oficial.

Capa Aftershock do Motörhead

Motörhead: Aftershock

O álbum não será lançado até 22/10/2013. Mas como Lemmy quer mostrar que é um pai gente fina, resolveu aliviar nossa ansiedade. Não é porque sou fã, mas PUTA QUE PARIU, que som é esse??? Que aula humilhante de Rock ´N Roll. Sem falar que Lost Woman Blues é um puta de um Blues, que nossa…

Falando nisso, conheçam as 13 faixas que compõem Aftershock:

1. “Heartbreaker” (3:05)
2. “Coup De Grace” (3:45)
3. “Lost Woman Blues” (4:09)
4. “End Of Time” (3:17)
5. “Do You Believe” (2:59) 

Motörhead 2013

Motörhead 2013

6. “Death Machine” (2:37) 
7. “Dust And Glass” (2:51) 
8. “Going To Mexico” (2:51) 
9. “Silence When You Speak To Me” (4:30)
10. “Crying Shame” (4:28)
11. “Queen Of The Damned” (2:41)
12. “Knife” (2:57)
13. “Keep Your Powder Dry” (3:54)
14. “Paralyzed” (2:50 ) 

Canta, toca, compõe, é uma lenda vida do Rock e ainda coloca o dedo na nossa cara e fala: “Aprendam como se faz, bando de pirralhos…”. Bom, chega de conversa. Acessem o link para conhecer o mais recente massacre sonoro do Motörhead, Aftershock: http://music.yahoo.com/blogs/stop-the-presses/hear-first-mot%C3%B6rhead-album-aftershock-155949808.html

Fontes: http://imotorhead.com/
https://www.facebook.com/OfficialLemmy
https://www.facebook.com/OfficialMotorhead
http://music.yahoo.com/

Drowning Ouça o novo single da Holiness (Áudio e Letra)

Arte da nova música da banda Holiness

Drowning: Holiness New Single.

 A banda Holiness parece dotada de uma doença incurável chamada “inquietação musical”. Ignoram totalmente o adágio popular de que “em time que está ganhando, não se mexe”. Não importa o quanto possa parecer arriscado, eles fazem questão de correr atrás e provar que podem fazer do excelente algo ainda mais incrível – e o que é melhor, sem descaracterizar sua personalidade artística.

Cristiano Reis e Stefanie Schirmbeck: baterista e vocalista da Holiness.

Holiness: Cristiano Reis e Stéfanie Schirmbeck.

 Desde antes do lançamento do single anterior, Dead Inside, eles chegaram a comentar abertamente em shows, que em 2013 poderíamos esperar por ótimas surpresas. Cá entre nós, eu ficaria surpreso somente se eles criassem algo de qualidade duvidosa, porque talento, garra e perfeccionismo são apenas algumas das assinaturas da banda. Seja em gravações de estúdio, em vídeos oficiais ou nos palcos, eles primam pela capacidade de se superar em cada riff, solo, batida ou simplesmente pela voz hipnotizante de Stéfanie. 

Formação da banda Holiness: André Martins, Stéfanie Schirmbeck, Cristiano Reis e Fabrício Reis.

André Martins, Stéfanie Schirmbeck, Cristiano Reis e Fabrício Reis: Holiness 2013

 Drowning me deixou orgulhoso como fã brasileiro de Metal. Orgulhoso pelo fato de ouvir mais uma banda brasileira, fazendo algo que normalmente fica restrito a poucas bandas hoje em dia: surpreendendo e acertando. Não é apenas mais uma música “legal”. É FODA. Não é mais um clichezinho fácil, fórmula pronta do tipo “vamos dar a eles aquele sonzinho óbvio, mas que já sabemos que vai agradar”.

 A música é apenas excelente, a letra é ótima e quanto à produção… ah, meu amigo, que PUTA produção. Esse pessoal da Loud Factory faz um trabalho de gente muito grande – não é à toa que a Holiness, com o padrão de excelência que costuma manter, se encontrou tremendamente à vontade com essa equipe. Conheci os caras no Live Metal Fest II, do qual a própria Holiness participou, e pelo pouco que pude perceber ao longo da conversa que tivemos, além do profissionalismo explícito (vide o single Dead Inside e também a gravação do clipe de Mine), são pessoas muito fáceis de lidar. Sou da política de que pessoas tranquilas, honestas, humildes e obstinadas, costumam produzir coisas boas em todas as áreas da vida. Seja no palco ou nos bastidores. Que a Holiness continue evoluindo e encontrando parceiros que façam por merecer o seu respeito e confiança. Long Live Holiness!

Drowning – Holiness (Official Audio Stream)

I’m sinking deeper in this mud
Feels like I’m drowning and I can’t escape
But I know I’m still breathing

Is there anyone listening?
Is there anyone sane in this selfish world?
I know I’ve got just one chance

I want to know what’s left behind
So I can move on again
With no sorrow or regret
I´ll keep the promisses I made
when everything is through

Everyday feels like a struggle
Don’t want to decide which side to choose
And I can hear you screaming

Every threat is real
Every mistake wouldn’t be my last
Don’t try to stand in my way

I want to know what’s left behind
So I can move on again
With no sorrow or regret
I’ll keep my promisses

With no one’s permission
Now I’ll write my own lines
This time

I used to feel
I was safe in this place full of lies
Now I believe everyone’s got they’re own truth to hide
Inside

Behind these walls, my thoughts
Under this skin, my scars
Inside this mind , my fears
I wish I could erase

I want to know what’s left behind
So I can move on again
With no sorrow or regret
I’ll keep my promisses

With no one’s permission
Now I’ll write my own lines

I want to know what’s left behind
So I can move on again
With no sorrow or regret
I´ll keep the promisses I made
when everything is through

Fontes, Referências e Informações Técnicas: Music by Stefanie Schirmbeck, Fabrício Reis & Cristiano Reis
Lyrics by Stefanie Schirmbeck
Produced by Critiano Reis & Fabrício Reis
Mixed and Mastered by Vagner Bigu (Loud Factory Productions/Studio): http://www.loudfactory.net/
Recorded by Adair Daufembach 
Artwork by Marcelo Campos

Reverbnation: http://www.reverbnation.com/holiness
Facebook: http://Facebook.com/HolinessBrasil

Ouça aqui o single God Is Dead?, a nova música do Black Sabbath!

God Is Dead?

God Is Dead?

 Desde o título à própria capa, a música God Is Dead? faz referência explícita ao pensamento denso e antidogmático de Nietzsche – por um acaso, um dos meus filósofos favoritos.

 Achei a composição ótima, mas já deram início ao Muro das Lamentações do Rock, reclamando do andamento, duração, etc, etc e etc. Numa boa? Acredito que se essa mesma música tivesse sido composta e gravada nos anos 70, metade das pessoas não iria reclamar ou colocar defeitos. Sim, é preconceito mesmo. Não da parte de todos, mas de muita gente. 

A arte é de Heather Cassils e essa música estará no novo disco, batizado simplesmente 13. Ouça e tire suas conclusões.

God Is Dead? Black Sabbath

Fonte: http://www.youtube.com/user/OfficialSabbath

Resposta a Jack Endino

O QUE DISSE JACK ENDINO EM SUA PÁGINA DO FACEBOOK?

 “Brazilian bands!!! WHY ARE YOU SINGING IN ENGLISH? I CAN NEVER UNDERSTAND A WORD OF IT! What is the point of this? It will not give you success outside of Brazil, and I don’t see how it can give you success INSIDE Brazil. Yes, I know Sepultura did it, but their English was excellent, their lyrics were good, and they were on an international metal record label. Who else has done it? I am really baffled and puzzled by this.” – Jack Endino

 Resumindo: nos questiona por cantarmos em Inglês; diz que não entende uma única palavra do que cantamos; fala que não entende o objetivo e que isso não nos levará ao sucesso fora do Brasil. E que não vê como isso trará sucesso dentro do Brasil. Segundo ele, somente o Sepultura presta, tem boa proficiência em Inglês e boas letras, além de terem assinado com um selo internacional. “Quem mais fez isso?”, questiona Jack Endino.

SOBRE O DOMÍNIO DO IDIOMA

 Olha, francamente não faço ideia sobre quais bandas ele está falando, mas a primeira impressão é de que há bem mais do que exagero no ar. Quase xenofobia. 

 Nosso Inglês é sofrível enquanto estivermos nos referindo à população de uma maneira geral, certamente. Posso afirmar isso de cátedra pois sou professor de Inglês há quase 20 anos. Não falo isso para me exibir – grande coisa, há um monte de professores de Inglês no Brasil -, falo isso para apresentar previamente o embasamento do que direi a seguir.

 Cansei de ver pessoas que se acreditavam “fluentes”, não serem literalmente mais do que alunos básicos – e daqueles bem ruins. Mas nenhuma delas exercia funções nas quais o Inglês fosse imprescindível, como se dá com vocalistas brasileiros que cantam em Inglês. Muitos de nossos vocalistas não apenas dominam duas línguas, como são também pessoas de enorme cultura, Jack Endino. No Brasil, o Rock é esmagado pela perfídia de homens como você, que fazem questão de manter as “castas inferiores” subjugadas e ignorantes. Precisamos de muito preparo para trabalhar e defender nossas crenças, apurando nossa habilidade mental e capacidade de retórica.

 Nosso povo é fartamente exposto ao que há de pior, na sua e na nossa cultura, logo, poucos precisam assumir a responsabilidade de falar por muitos. Isso demanda estudo, inteligência, tolerância, respeito e, principalmente, Honestidade, Disciplina e Amor pelo que se faz. Falo de artistas, não de políticos.

 Em várias regiões de lugares como Estados Unidos e Reino Unido, o domínio do idioma em geral é risível, a pronúncia vai além do sotaque e pisa firmemente com os dois calcanhares no ERRO, mas nem por isso vejo alvoroço para se usar tal argumentação contra bons trabalhos de bandas locais. Quer um exemplo de pronúncia questionável? Adoro James Hetfield, por exemplo, mas cantando, ele engole tanta letra, sílaba, tem cada pronúncia engraçada, praticamente inventa palavras… e nem por isso vou dizer que a banda é uma merda e que ele não canta bem. Criaram até memes sacaneando essa característica dele em 2012, você deve ter visto por aí, Endino. Ou talvez não, para você isso deve ser coisa de brasileiro.

 Vejo vocalistas de bandas alemãs, italianas, finlandesas, suecas, holandesas e outras tantas, apresentarem domínio idêntico ao dos nossos vocalistas, mas não me recordo de um único ataque nesse tom humilhante e depreciativo. E elas também não mereceriam.

SOBRE AS LETRAS

 Outro aspecto terrível no que você disse, nada tem a ver com a proficiência do idioma. Para você, somente o Sepultura tem um bom Inglês e letras boas? Como assim, Endino?

 Jack, Sepultura é legal, mas gostaria de entender qual a grande “genialidade” das letras deles. São boas sim, só que não chegam a ser um diferencial, algo que valha como argumento da maneira que você o fez. Li todas elas e sei do que estou falando. Já você, não deve ter lido muitas letras de bandas brasileiras que cantam em Inglês. Quer falar das clássicas do Metal Brasil? Vou te dar um único exemplo: VIPER. Nessa banda, Pit Passarell é um daqueles que sozinho, deu (e dá) um banho em tudo que muita gente escreveu até hoje. E não estou colocando somente o Sepultura na roda, mas várias bandas do mundo todo. Se você não o conhece, azar o seu.

 Nesse ponto, você está claramente misturando “gosto pessoal” com “qualidade literária”. Ficou parecendo um garoto que é fã de Ramones (que também adoro) e que por isso, diz que Johnny Ramone  é “o melhor guitarrista do mundo” – porque é sua banda preferida. “Se eu gosto é o melhor; senão é uma porcaria.” – traduzindo, é isso que muita gente pode estar pensando de você, inclusive eu.

 Fui vocalista e imagino como muitos colegas devam estar se sentindo. Fiz questão de escrever essa “resposta” para pontuar a posição do Rock Universe em relação ao que disse Jack Endino. Escrevi por nós vocalistas. Sim, “fui vocalista”… mas nessa hora, no momento em que alguém se levanta contra a classe dos músicos de Rock brasileiros, dessa forma desrespeitosa, intolerante, infeliz, preconceituosa, realmente volto a “ser vocalista”, mesmo que anônimo, mesmo que o suficiente apenas para redigir um texto apressado em tom pessoal.

 Não farei uma versão em Inglês por uma razão muito simples: Jack Endino não merece meu esforço nesse sentido. Falo contra ele, mas fiz esse desabafo por  vocês e para  vocês. Vocês, fãs e músicos brasileiros de Rock. 

 Fonte: https://www.facebook.com/jackendinopublicpage

Led Zeppelin anuncia o lançamento mundial de Celebration Day

Led Zeppelin: Celebration Day

 E eis que o Led Zeppelin ataca novamente. Após uma intrigante contagem regressiva de 5 dias na página oficial da banda (https://www.facebook.com/ledzeppelin), o site do Led disponibilizou uma lista de países e cinemas que participarão da exibição do show histórico que aconteceu em 10 de dezembro de 2007 na O2 Arena de Londres. Nesse dia, Robert Plant, Jimmy Page, John Paul Jones e Jason Bonham  o mais que legítimo herdeiro do trono deixado por John Bonham na bateria – mostraram que uma Lenda Sagrada do Rock nunca será esquecida e será sempre reverenciada.

Celebration Day – Led Zeppelin Forever

 Com lançamento mundial pela Omniverse Vision (que já trabalhou com Ozzy Osbourne, Bon Jovi e Peter Gabriel), salas em mais de 40 países e 1.500 telas exibirão no próximo dia 17 de outubro a performance do quarteto – aqui no Brasil poderemos assistir exclusivamente nas redes UCI e Cinemark. Apenas para frisar a importância histórica da música dos caras, lembrem-se que em 2007, 20 milhões de pessoas tentaram conseguir os ingressos, mas somente 18.000 puderam vê-los ao vivo após 27 anos desde sua última apresentação.

 Celebration Day  – Led Zeppelin (Trailer)

Vejam o setlist do Led Zeppelin nessa reunion de 2007:

1. Good Times Bad Times
2. Ramble On
3. Black Dog
4. In My Time of Dying
5. For Your Life
6. Trampled Under Foot
7. Nobody’s Fault But Mine
8. No Quarter
9. Since I’ve Been Loving You
10. Dazed And Confused
11. Stairway To Heaven
12. The Song Remains The Same
13. Misty Mountain Hop
14. Kashmir
15. Whole Lotta Love
16. Rock And Roll

Precisa dizer mais alguma coisa?

Fontes: http://www.ledzeppelin.com/ & https://www.facebook.com/ledzeppelin