Archive for the ‘Speed Metal’ Category

R.I.P. Lemmy Kilmister – O Dia em que o Trovão silenciou

...

Lemmy se foi. Não há muito o que enfeitar sobre isso, é uma porrada real e certeira. Foram 70 anos de vida, mais de 50 como músico, 40 deles dedicados ao Motörhead. O homem era uma máquina de fazer Rock N Roll.

As primeiras 24 horas foram muito esquisitas. Abri e fechei o editor de texto várias vezes, simplesmente não sabia o quê ou como dizer. Nem mesmo se eu queria dizer algo, para ser bem honesto. Pouco dormi. Comi mecanicamente. Enquanto ouvia suas músicas na primeira madrugada após sua morte, eu tentava assimilar a perda. Pensava “outra baixa da magnitude de Ronnie James Dio em meu universo musical… vai ser assim?” – Como se houvesse alguma outra opção além de aceitar… que lendas sobrevivem apenas em nossas lembranças, por mais que sejamos contemporâneos dos nossos mitos modernos. Caras como Lemmy tornam-se imortais em vida, nublando nosso discernimento para o óbvio: a Natureza tem suas leis a seguir, quer você queira, quer não. Vale para mim, vale para você e vale até mesmo para o adorado e “indestrutível” Lemmy.

De roadie do Jimi Hendrix, ao seu próprio lugar de direito como lenda viva do Rock, Ian Fraser “Lemmy” Kilmister trovejou em todos os palcos do mundo, trilhou praticamente todas as estradas da vida – as certas e as erradas – merecendo cada gesto de reconhecimento, cada grito, cada noite virada, cada brinde.

The Ace Of Spaces

The Ace Of Spaces

Divertido, mal-encarado, talentoso, beberrão, humilde, sem frescuras, porém educado, paciente e cordial. Não existe nenhum grande mistério quando você é uma pessoa espontânea e não fica forçando a barra, querendo parecer o que não é, nem bonzinho demais e nem malvado demais. Todos os relatos em primeira pessoa que chegaram a mim até hoje (infelizmente eu mesmo nunca pude conhecê-lo), dão conta de que ele era alguém que não ficava botando banca de grosso e valentão sem necessidade, ao contrário do que muitos acreditam e alguns até pensam estar imitando, sabe-se lá tentando provar o quê. Acho que ele daria umas boas risadas de algumas dessas pessoas e ficaria bem puto com outras.

Era perceptível em suas declarações, a postura de um homem que aprendeu ao longo de 7 décadas, que tudo que começa, acaba, tudo que sobe, desce. Aliás, não tem muito tempo, deixou claro com todas as letras que estava em Paz consigo e com o mundo, reconhecendo publicamente que não teria razão para temer a morte.

RIP Lemmy

Passados os excessos da juventude, Lemmy Kilmister só queria viver da melhor maneira que soubesse, mas sem abrir mão da simplicidade crua de sempre, que acabou lhe rendendo boa parte da fama. Curtir um som, rir, fumar, jogar, sair pra beber e transar. Apenas isso, sem delírios de grandeza. Se para nós, ele foi e será eternamente um ícone, mito, lenda, patriarca ou qualquer que seja o termo, isso é um problema nosso. Ele mesmo nunca se atribuiu a importância que teve ou ao menos nunca se comportou como se tivesse, muito pelo contrário. E isso fazia dele um sujeito ainda mais extraordinário. Nunca se importou em ser rico ou famoso, não era esse seu objetivo, foram apenas consequências. Só queria se divertir como o cara humilde que era e fazer com que nos divertíssemos tanto quanto ele, através dessa inexplicável energia chamada Rock N Roll. Pois saiba que você conseguiu, Lemmy. Missão cumprida.

Motörhead For Life. Lemmy Lives Forever. Rock In Peace, Lemmy… see ya.

Fontes & Referências
http://www.imotorhead.com/
https://www.facebook.com/OfficialMotorhead/
https://www.facebook.com/OfficialLemmy/
http://www.blabbermouth.net/news/motorheads-lemmy-dead-at-70/
http://www.rollingstone.com/music/news/the-tao-of-lemmy-18-great-quotes-from-the-motorhead-frontman-20151229
http://www.areah.com.br/vip/lemmy-kilmister/materia/123246/1/pagina_1/13-licoes-de-vida-de-lemmy-kilmister.aspx
http://www.mirror.co.uk/3am/celebrity-news/motorheads-lemmy-kilmister-playing-video-7085769

Advertisements

Primal Fear – Bad Guys Wear Black (Official Video)

Primal Fear 2012 album Unbreakable Bad Guys Wear Black

Unbreakable

Acompanho esses caras desde seu primeiro álbum, auto-intitulado Primal Fear (1998), e desde aquele primeiro contato fiquei um tanto quanto abismado pela sonoridade: uma banda de Power Metal flertando com Trash e Heavy Metal de maneira totalmente convincente, na época já às portas do século XXI. Guitarras, baixo e bateria totalmente desenvolvidos a partir das melhores referências no universo Metal, com um certo charme de anos 80, ou seja, entenda-se a partir disso a fórmula técnica-porrada-melodia trabalhadas a cada música. Quando soube que o vocalista tratava-se de Ralf Scheepers, notei que a proposta era bem mais do que séria, apesar de eu nunca ter me considerado um grande fã de Gamma Ray – banda na qual Scheepers se destacou ao lado de Kai Hansen, um dos homens que fez história como fundador do Helloween e autor de alguns dos maiores hinos do Power.

Para quem não sabe, Ralf Scheepers é simplesmente um vocalista muitíssimo acima da média, com uma voz de excepcional potência e agressividade, transitando dos graves aos agudos sem apelar para truques de estúdio e os já manjados macetes usados por muitos durante shows. Em seus momentos de notas mais altas, não raro é comparado a Rob Halford no auge de sua forma – na verdade a semelhança é notável.

Evidente que Scheepers é a estrela do time, mas não podemos desconsiderar de forma alguma aquele que fundou com ele essa devastadora máquina de velocidade e peso chamada Primal Fear: o baixista Matt Sinner. O sujeito produz, compõe e toca há um bom tempo – desde 1982 com sua banda Sinner entre outras – e acertou a mão quando na primeira formação, recrutou Klaus SperlingTom NaumannStefan LeibingHenny Wolter para o que parecia em princípio um projeto sem grandes pretensões. Como podem notar pelo termo “primeira formação”, a banda sofreu modificações de 1998 pra cá, sendo que a atual formação (insta salientar, tão boa quanto a original) conta com Magnus Karlsson e Alex Beyrodt nas guitarras, e Randy Black na bateria.

O novo disco Unbreakable (2012) – nono disco de estúdio da banda – traz 13 faixas furiosamente compostas e executadas do início ao fim, e no finalzinho do ano passado um clip oficial foi liberado – a música é tão boa e o vídeo tão bem produzido, que vale reprisar aqui…sem mais delongas:

Bad Guys Wear Black – Primal Fear (Official Video)

Fontes: Discografia oficial & http://www.primalfear.de/home/

“The Bard´s Night” – Blind Guardian & Grave Digger em São Paulo

Negri Concerts

Preparem seus pulmões e gritos de guerra, pois Blind Guardian & Grave Digger se apresentarão dia 23/04/12 em São Paulo no Credicard Hall, em  uma memorável noite que será merecidamente lembrada como “The Bard´s Night”.

Saber que poderemos presenciar in loco, as músicas e climas épicos esmeradamente forjados por essas duas grandes usinas do Metal, ao meu ver já é o prenúncio de um mais que promissor 2012!

The Bard´s Night: Blind Guardian & Grave Digger

Informações sobre os ingressos futuramente em: http://premier.ticketsforfun.com.br/

Fontes: http://www.negriconcerts.com.br/
https://www.facebook.com/pages/Negri-Concerts/201277079901566