Archive for the ‘Tributo’ Category

Nota de Falecimento – RIP Jon Lord

Jon Lord: The Keyboard Master

 É com profundo pesar que viemos compartilhar um notícia mais do que triste para o mundo Rock e da Música como um todo: o Mestre Jon Lord, co-fundador do Deep Purple, encontrou a Luz hoje, 16 de julho de 2012, aos 71 anos, na London Clinic, vitimado por uma embolia pulmonar. Lord encontrava-se há algum tempo já em tratamento devido a um câncer no pâncreas.

 Segundo as primeiras informações, em seu momento final, ele encontrava-se rodeado por sua família. Que seus últimos segundos tenham sido serenos… E que sua família conte com a força espiritual de seus fãs para absorver a realidade.

Child In Time – Deep Purple (Official 1972 Video)

Rest In Purple Master Lord

Fontes: http://jonlord.org/ – http://www.rollingstone.com/ – http://www.bbc.co.uk/news/

Advertisements

13 Grandes Momentos de Ronnie James DIO

Ronnie James DIO

 Hoje, 10/07/2012, o Homem nascido Ronald James Padavona, mas imortalizado como Ronnie James DIO, completaria 70 anos. Estamos já há 3 anos sem a presença física do incomparável Deus-Rei do Metal, contudo, sua música ainda pulsa diariamente em nossos Corações e Almas.

 Não podemos deixar de citar alguns dos gênios e demais grandes músicos que estiveram com DIO ao longo de seus 53 anos de carreira, alguns dos mesmos participando diretamente de sua ascenção a Grão-Mestre do Heavy Metal: Tony Iommi, Ritchie Blackmore, Geezer Butler, Vinny Appice, Cozy Powell, Jimmy Bain, Jake E. Lee, Vivian Campbell, Craig Goldy, Jens Johansson, Claude Schnell, Doug Aldrich, Bob Daisley e Rudy Sarzo entre muitos outros, tanto dentro quanto fora dos palcos.

 O luto por sua ausência é permanente, mas sua Voz e seu Talento são o justo legado de uma existência totalmente dedicada ao Rock ´N Roll, alçando o mesmo quase ao status de Arte Espiritual. Pensando nisso, elaboramos uma trabalhosa lista com 13 Grandes Momentos de sua carreira. Apenas esclarecendo: não apresentamos de forma alguma uma lista rigorosa no estilo “13 melhores”, como um ranking ou algo do tipo, afinal de contas, DIO produziu muito, mas muito mais do que apenas 13 hinos e interpretações memoráveis.

 Resumindo, optamos por publicar aqui 13 episódios de sua vida cuidadosamente selecionados (inclusive no que diz respeito à qualidade de áudio e vídeo) que de uma forma ou de outra nos marcaram em sua história – que, diga-se de passagem, funde-se à própria História do Rock nos últimos 50 anos. Uma boa jornada aos audazes…

The Mob Rules  – (DIO with Heaven & Hell)

Gates Of Babylon  – (DIO with Rainbow)

Neon Knights  – (DIO with Black Sabbath)

Holy Diver  – (DIO)

Rainbow In The Dark  – (DIO)

We Rock  (DIO)

The Last In Line  (DIO)

Man On The Silver Mountain  – (DIO sings Rainbow)

Children Of The Sea  – (DIO with Heaven & Hell)

Lady Evil  – (DIO with Heaven & Hell)

Long Live Rock N Roll  (DIO with Rainbow)

Heaven & Hell  (DIO sings Black Sabbath)

Metal Will Never Die  – (DIO – Vídeo e Letra)

“…I Will Crank You Up… You Can’t Bring Me Down I Will Make You High
Metal Will Never Die

See you around Master Dio… R.I.P. = Rock In Peace \m/

Fontes: Coleção particular & http://www.rainbowfanclan.com/  http://www.black-sabbath.com/  http://www.ronniejamesdio.com/  http://heavenandhelllive.com/

Carinhosa, Selvagem & Romântica – Ela é muito melhor do que qualquer Rock ´N Roll

She Rocks My World And Loves My Words…

 Todo Homem merece um dia encontrar aquela garota, sabe? Aquela mulher que pode transformar seus piores dias em dias triunfantes. A companheira que vai saber reconhecer e admirar suas qualidades em meio a tantos defeitos – e que você, enquanto Homem, há de retribuir da mesma forma.

 Depois que vocês se conhecerem, vão passar por muitas noites de balada, muitos dias de Hard visceral e outros tantos com pegada Heavy tradicional. O cotidiano urbano vai oferecer diversas experiências Thrash e diálogos Punks, mas também não faltarão momentos de Progressivo transcendental. Juntos vocês irão aumentar ainda mais o repertório diário com risadas e lágrimas, pois, infelizmente, o mundo muitas vezes há de bater pesado, sem dó, justiça ou piedade… E é exatamente nessa hora que você estará ainda mais presente, ali, com ela e por ela. Você será seu sangue, seu elmo, sua espada e seu escudo.

 Seus beijos devem ser como solos bem executados – tecnicamente envolventes, mas completamente imersos em voracidade, desejo e entrega. Os abraços e carícias precisam ser espontâneos e honestos como os mais hipnotizantes riffs, que não parecem ter sido criados, mas que aparentam sim, ter desde sempre existido. Sua troca de energias deve ser a harmonia principal e também o andamento, conduzindo uma só respiração, em cada compasso, a cada segundo, em cada batida, a cada madrugada em que adormecerem abraçados após uma balada, um show, uma noite de amor ou mesmo após um filminho em casa, no frio, deitados na cama debaixo dos cobertores.

Love Ain´t No StrangerWhitesnake

 Quando sua mulher franzir o cenho discordando de alguma atitude sua, quando ela disser algo que não lhe desça bem, quando ela ficar brava, triste ou chateada, antes de estupidamente “retribuir” essa aparente insatisfação com a mesma moeda, lembre-se de que esses episódios são apenas como aqueles momentos um pouco menos memoráveis na longa e vasta discografia de sua banda do Coração – e tanto quanto você, sua mulher não precisa ficar provando a todo instante que merece seu Amor, portanto, não trate sua relação como um duelo de pistolas ao pôr do sol. Ame e deixe-se amar sem impor uma enorme lista de exigências, um contrato enfadonho, feio e desonroso. Componham a relação com todo carinho, respeito e consideração que somente uma verdadeira power ballad deve receber.

 Convenhamos que enquanto sua amada, ela goza de um certo direito, que somente o verdadeiro Amor permite, de um dia se irritar com uma completa  bobagem e no dia seguinte dar risada de algo que você pensou que a deixaria furiosa. Calma, você tem todo direito de questionar essa e muitas outras atitudes, mas boa parte dessas vezes a melhor resposta é olhar em seus olhos, respirar fundo e falar – ou ao menos pensar: “Estou aqui e sei que de uma forma ou de outra você tem motivos para se sentir assim. E tão logo isso passe, ainda estarei aqui para você.” – sim, nem sempre ela terá razão… Mas e daí headbanger? Você por um acaso sempre tem? E acha que ela não releva vários de seus muitos defeitos? Alguns que você sequer percebe ter? Pense bem antes de cobrar dela o que quer que seja… Respeite-a em todos os sentidos.

 Ninguém deve amar uma mulher apenas por julgá-la fantasiosamente ideal e irretocável, mas sim por suas virtudes serem tão reais e evidentes, majestosas e mais importantes que suas supostas desvantagens e imperfeições, que se torne impossível não amá-la como se fosse a própria Afrodite em seu leito… E convenhamos que esse é exatamente o papel que ela tem e terá em sua Vida.

She Is My Rock ´N Roll… And Always Will Be.

 Jamais se esqueça de que o fato dela também ser desencanada, Rock ´N Roll, não ser “fresca”, gostar de beber, cantar, gargalhar, namorar e enlouquecer de alegria, não significa que você não deva cortejá-la à altura do posto que ocupa em sua Vida: o de uma verdadeira Rainha. Ela seguramente gosta de seus elogios “exagerados” mesmo que não admita. Se faz de durona e de moderna, mas gosta de seu cavalheirismo antiquado em certas situações. Ainda fica meio sem graça quando você fita seu rosto sem motivos, mas tenta disfarçar.

 Você não é perfeito, ela também não é, e isso sim comprova que existe uma relação perfeita em andamento: nem ela e nem você precisam enxergar perfeição um no outro para que se vivencie um sentimento perfeito. Esse é apenas um dos segredos. Os outros serão desvendados por ambos, buscando os mesmos um na Alma do outro, seja pelas trocas de olhares, através de passeios despretensiosos em praias desertas ou conversas que transitarão do supérfluo ao existencial, mergulhadas em vinhos, sabores e silêncios. Em meio a essa busca, você descobrirá que Alma dela é tão linda quanto seus olhos, seu rosto e seus trejeitos mais encantadores.

 Ela domina extremos que só você é capaz de perceber claramente: Carinhosa, doce e amável… gentil, Selvagem e adorável… turbulenta, calma e Romântica. Muito melhor do que qualquer Rock ´N Roll.

Viper 2012: “To Live Again Tour” – Turnê Comemorativa pelos 25 anos de Soldiers Of Sunrise!

Viper: Soldiers Of Sunrise

Soldiers Of Sunrise: 25 anos

 Sim, é isso mesmo: Viper, a melhor banda brasileira de Heavy Metal de todos os tempos, fará uma turnê para celebrar o Jubileu de Prata de seu clássico álbum Soldiers Of Sunrise!

 Após 22 anos desde a saída do consagrado vocalista André Matos, a banda retorna à ativa com apenas um adendo sobre o fantástico guitarrista Yves Passarell: ele fará participações esporádicas na turnê – muito provavelmente em virtude de sua agenda mais do que lotada como guitarrista do Capital Inicial. Revezando com Yves quando necessário, teremos o grande guitarrista Hugo Mariutti, que pelo sobrenome todo mundo já deve ter se ligado que não se trata exatamente de um estranho no ninho, muito pelo contrário. Completando a escalação, temos o sempre impressionante e arrojado guitarrista, também da formação clássica da banda, o inspiradíssimo Felipe Machado, além do bem-mais-que-talentoso Guilherme Martin na bateria e o genial baixista, vocalista e compositor Pit Passarell, que juntamente com seu irmão Yves, é membro fundador dessa fantástica máquina de distorção e virtuosismo chamada Viper.

 Não que eu precise pedir, mas vocês podem se programar pois a primeira data da To Live Again Tour  já está confirmada: 1º de julho no Via Marquês em São Paulo!!!

VIPER 2012: To Live Again Tour!!!

Viper em sua formação 2012 para A To Live Again Tour

Viper 2012: Guilherme Martin, Pit Passarell, André Matos, Hugo Mariutti e Felipe Machado. (Foto: Nando Machado/Wikimetal)

E Que os Deuses do Metal abençoem esse regresso com Fogo e Aço…

Fontes: http://www.palavradehomem.com.br/ (site do próprio Felipe Machado)http://www.wikimetal.com.br/

Morre Jim Marshall, o criador dos amplificadores Marshall

Morre aos 88 anos Jim Marshall, criador dos amplificadores Marshall

Morreu hoje Jim Marshall, criador dos clássicos amplificadores Marshall

 Morreu aos 88 anos Jim Marshall, o pai dos amplificadores Marshall. 99% daquilo que ouvimos e identificamos no Universo do Rock ´N Roll em se tratando de sons de guitarra nas últimas cinco décadas, devemos à criação desse sujeito.

 Nascido em Acton (1923), o inglês James Charles Marshall era baterista e vocalista, tendo sido inclusive professor de bateria de nomes como Mitch Mitchell (The Jimi Hendrix Experience), Mick Underwood (Ritchie Blackmore) e Mickey Waller (Little Richard) entre outros. Justamente em virtude da necessidade em fazer com que sua voz pudesse ser ouvida enquanto tocava, ele criou um de seus primeiros sistemas de amplificação ainda nos anos 40. Já em 1962, com a fundação da Marshall Amplificationpode-se dizer que Jim demarcou em definitivo a história dos timbres de guitarra do Rock em antes e após Marshall.

 Hendrix, Iommi, Slash, Clapton, Kerry King, Jeff Hanneman, Yngwie Malmsteen, Pete Townshend, Blackmore, Page, Dave Murray, Adrian Smith, Janick Gers, Zakk WyldeRandy Rhoads são apenas alguns dos mais que famosos guitarristas a fazerem uso dos Amplificadores Marshall para registrar sua arte, tanto em estúdio quanto ao vivo.

Alguns modelos de amplificadores Marshall

Marshalls

 Quando ainda tocava, tive o prazer e o privilégio de ser o feliz proprietário de um Marshall Valvestate 8080. A incrível distorção desse amp soava exatamente como algumas das melhores gravações do final dos anos 70 e início dos 80. Um amplificador Marshall tem algo a mais, um certo mistério intangível, algum tipo de alma…

 Não sei dizer como Mr. Marshall conseguiu criar algo tão perfeito e único, só sei dizer que tive vários amplis e utilizei muitos outros, mas nenhum deles jamais soou como aquele meu velho Marshall. Nenhum.


R.I.P. James Charles Marshall (1923-2012)


Fontes: http://www.marshallamps.com/

http://www.guardian.co.uk/

Morre Jean Giraud, o genial artista conhecido como Moebius

Jean Giraud, o Mebius, em sua exposição de arte

Moebius: Jean Giraud em sua exposição

 2012 anda acumulando baixas expressivas no mundo das artes…morreu nesse sábado aos 73 anos, o genial artista francês Jean Henri Gaston Giraud, conhecido por todos como Moebius. Tenente Blueberry, Alien, O Segredo do Abismo, Surfista Prateado, Willow, Mestres do Universo, O Quinto Elemento e Tron são apenas alguns de seus trabalhos em Cinema e Quadrinhos.

 Em muitos ramos das Artes percebemos uma sutil ligação com o Rock, por isso meu destaque pessoal em sua obra, fica por conta de ter sido um dos fundadores da revista francesa Métal Hurlant. Essa revista ficou bastante popularizada entre desenhistas e músicos em nosso continente, como a aclamada publicação de ficção científica e fantasia conhecida sob o nome Heavy Metal – nome com o qual passou a circular principalmente nos EUA. Enquanto ex-músico e desenhista em quadrinhos, mantive sempre um especial interesse em tudo que fosse desenvolvido por Moebius, ou inspirado em suas criações – como também é o caso da admiração que tenho por Giger e Dalí entre outros.

Métal Hurlant the original Heavy Metal

Métal Hurlant

 Quando tive o prazer de conhecer sua obra, algo curioso me chamou a atenção logo de cara: a quantidade de headbangers que eu ia conhecendo, que não eram necessariamente desenhistas ou fãs de quadrinhos, e eram alucinados pela revista. Eram atraídos inicialmente pelo nome (óbvio) e mesmo constatando não se tratar de um periódico de Rock/Metal, tornavam-se fãs da revista e de seus colaboradores, tamanho o apelo junto a esse público.  Nessa época no Rio de Janeiro, normalmente não encontrávamos a Heavy Metal nas bancas, sequer nas poucas especializadas que existiam (doce ilusão): vasculhávamos incessantemente sebos, importadoras, lojas de modelismo, de RPG… eram tão raras que seus preços podiam ser bem salgados, fossem novas ou usadas. Durante muito tempo mal conseguíamos encontrar quatro ou cinco a cada seis meses, depois as coisas foram melhorando. Já adulto tive a sorte e a felicidade de encontrar sem querer por R$ 1,00 uma versão original francesa, ou seja, uma Métal Hurlant, e esse foi o meu maior troféu até hoje em caçadas por HQs.

Poster do filme de 1981, Heavy Metal

Arte principal do filme Heavy Metal de 1981

 A qualidade da Métal Hurlant/Heavy Metal rendeu ao Cinema duas fantásticas animações cult: Heavy Metal (de 1981, dirigida por Gerald Potterton) e Heavy Metal 2000 (naturalmente em 2000, dirigida por Michel Lemire e Michael Coldewey). Tanto as revistas quanto as animações são material destinado ao público adulto, uma vez que mesclam além de ficção científica e fantasia, uma boa dose de erotismo, ação e violência, mas com uma linguagem totalmente pautada na arte como seu maior recurso, fazendo da mesma seu grande diferencial.

 Jean Giraud, o Moebius, é mais um grande artista que retorna ao convívio dos Deuses das Artes, uma notável inspiração que se eterniza tal qual uma belíssima pintura, tão importante quanto suas mais renomadas e sofisticadas criações. Repose en Paix, Jean Giraud…Moebius.

Fontes: Coleção particular & http://www.moebius.fr/
http://www.moebius-transe-forme.com/

8 de Março – Dia Internacional da Mulher: O que Elas fizeram e fazem pelo Rock e pelos Homens?

Doro Pesch: Eternal Metal Queen

 No dia 8 de março, comemora-se o Dia Internacional da Mulher. Por tudo que lhes têm acontecido ao longo da História, elas merecem ter não somente um, mas todos os dias dedicados a elas, sem a menor sombra de dúvida. Dentro disso me pergunto: o que elas fizeram e fazem pelo Rock e pelos Homens?

 Fiz questão de trazer o assunto um pouco para o Rock, justamente para expor o alcance da discriminação contra a figura da Mulher. Trata-se de fato inegável que a participação da Mulher em diversos setores da sociedade tem aumentado exponencialmente década após década, e não foi diferente no mundo das guitarras distorcidas. Elas chegaram e começaram a se tornar tecladistas, bateristas, baixistas, guitarristas e, obviamente, incríveis vocalistas.

Joan Jett: Bad Reputation

 Durante muitos anos foram aprisionadas “fora” do Rock, cabendo-lhes “somente” o papel de fãs, namoradas, esposas, groupies e etc… Como algo tão libertário pôde chegar a cair em tamanha contradição nessa questão? Seja como for, elas se mostraram tão superiores quanto sempre foram. Romperam gradualmente mais essa barreira, mostrando ao mundo que seu talento também se estendia aos palcos e estúdios, e que não eram meros troféus, adereços, bonequinhas de luxo com a eterna obrigação de exibirem beleza, unicamente para satisfazer os desmandos e a lascívia masculina.

Janis Joplin: The Queen Of Rock´N Roll

 As mulheres têm sido tema recorrente em baladas de Rock desde o início de tudo? Sim, todos sabemos disso. Elas inspiraram e continuarão inspirando artistas apaixonados. Mas percebam que curiosa essa questão: são endeusadas em letras, riffs e solos, mas ainda precisam lutar desesperadamente contra o preconceito justamente dentro do nicho que as idolatra. Que mulher nunca foi indevidamente abordada por um idiota em um show? Que mulher já não se viu restringida de ficar um pouco mais relaxada em uma balada? Que mulher já não precisou enquadrar um imbecil usando palavrões e tom de voz agressivo, por conta do mesmo imbecil não saber ouvir um NÃO, e simplesmente enfiar o rabo entre as pernas e sumir? Em uma tribo que adora enaltecer as reais qualidades femininas, combater os estereótipos e fazer valer que todos são iguais, pertencentes a um só grupo, aposto que muitas de vocês já passaram, ou conhecem outras mulheres que passaram por isso e por coisas muito piores.

Tarja Turunen: Wishmaster

 A quantas injustiças e desonras foram submetidas, e ainda assim seguem fortes e determinadas… Quanto valor, fibra e bravura em cada um de seus pequenos atos diários de sobrevivência: arriscando, tentando, lutando, errando e vencendo. Corações e Almas muitas vezes dilacerados ao final de um dia de trabalho, mas ainda assim atenciosas, carinhosas e delicadas no reencontro cotidiano com seus homens. Fazem de suas vozes, palavras e afagos, um bálsamo para nossa existência. Nos trazem à Vida, nos geram, criam, educam, guiam… Nos dão um caminho, motivação, coragem. Amor. Em um mundo cruel e perigoso, assumem o papel de mães, filhas, esposas, guardiãs e musas. Vocês são uma ligação, o elo místico que temos com as incontáveis Divindades que habitam a Terra e o Universo.

Lita Ford: Playing With Fire

 Por tudo que vocês, Mulheres, se veem obrigadas a tolerar ao longo de suas vidas, ainda assim triunfando em uma sociedade patriarcal como a que vivemos, só posso concluir uma única coisa: vocês são A Força primordial do Espírito Humano. O Rock Universe não apenas lhes deseja um belíssimo Dia Internacional da Mulher, como também agradece por vocês fazerem deste planeta um lugar um pouco mais suave, onde muitas vezes buscamos incansavelmente argumentos para seguir em frente, e vocês, ao abrirem um certo sorriso, nos dão todos os motivos de que precisamos.

 Quando um homem encontra essa tal mulher capaz de dar esse raro sorriso, de tornar sua vida plena de significados todos os dias, em alguns casos o cara monta uma banda, compõe uma música. Em outros, ele volta a ser poeta ou simplesmente cria um blog de Rock. 😉