Posts Tagged ‘Alice Cooper’

Quem diabos é Micky James?

Micky James ao vivo (Foto: Alejandro Eiro)

 Há tempos acompanho a carreira de um certo Criss Angel. Esse cara é um tremendo ilusionista de visual meio dark com uma pegada bem Metal Gótico em seu figurino. A despeito de suas inegáveis (e assustadoras) qualidades como mágico/ilusionista, algo sempre me chamou demais a atenção em sua série de TV: a trilha sonora selvagem e bem produzida. Principalmente a música tema de abertura – que batiza também o nome da série: MindFreak.

 Por incrível que pareça, eu nunca havia me dado conta (ou simplesmente me esqueci) de que na era da Web 2.0 seria muito fácil descobrir o gênio por trás daquela e de outras músicas igualmente pesadas e soturnas. Ao menos até uma noite dessas, quando ao som de Alice Cooper, recebemos um dica que não poderíamos deixar de trazer até vocêsE eis que surge aqui o nome desse talentosíssimo “feiticeiro” do Metal: Micky (ou Mick) James.

Ok, mas quem é de fato Micky James?

Micky James em seu estúdio Freedom Of Speech com uma de suas guitarras exclusivas Levitation 7 

 Micky James é um notável compositor, produtor/engenheiro, músico e ator. Ele é principalmente conhecido por sua música incluída na famosa Série de TV MindFreak, estrelada pelo (já citado) ilusionista Criss Angel. O mundialmente conhecido tema da série foi escrito por Micky James/Criss Angel e produzido por Micky e Jonathan Davis (KORN).

Micky em uma foto promocional da Marshall

 As melodias aterrorizantes e envolventes de Micky adicionaram elementos extras de suspense à ilusão do espetáculo em todas as 6 temporadas da série. Mick James também é responsável pela trilha sonora (de 2009 até o presente) do espetáculo BeLieve de Criss Angel para o Cirque Du Soleil em Las Vegas, pela trilha do Especial Criss Angel, Supernatural (2003), exibido pelo canal Sci-Fi, além do Especial Criss Angel, Made in Japan (2004), exibido no Japão.

 Outros créditos incluem: Carmen Electra’s NWWL (2007 – show exibido no Pay-Per-View), Super Bowl (2010), CBS NFL Pre-Games (2010 até o presente), Jets Play-Off Game (2011 – exibido pela CBS), March Madness NCAA (2011 até o presente na CBS), MTV Cribs & Teen Cribs, CMTV Cribs e VH1 That Metal Show (2010 até o presente).

Em foto promocional da Ampeg com um de seus baixos da linha Levitation 7

 Ele também pode ser ouvido na WWE, HBO, Criss Angel Biography (no A&E), The American Country Awards, The Tyra Banks Show, Phenomenon (NBC), Basketball (na CSTV), Entertainment Tonight, Parenthood (na NBC), Dirty Money (Discovery Channel), Dangerous Road (Discovery Channel) e também no The Magic Place (novo showsite do Criss Angel).

 Micky possui o seu próprio estúdio chamado Freedom Of Speech, localizado em Nova York, onde atualmente grava e produz. Desenvolveu também a sua própria linha de guitarras e baixos produzida pela Carparelli Guitars, chamada Levitation 7, que tem como característica a produção de uma sonoridade específica e única para músicos que procuram algo fora do tradicional. As guitarras e baixos possuem um design especial diferenciado de quaisquer outros encontrados atualmente no mercado.

Micky James e suas guitarras Levitation 7

 Dentre seu maravilhoso arsenal, ele orgulhosamente usa e endossa as seguintes marcas: Ampeg Bass Amps, Marshall Guitar Amps, Vox Guitar Amps, Korg Keyboards & Software, Carparelli Guitars, DR Strings, IN Tune Guitar Picks, Focusrite Recording Gear, CAD Microphones, GMS Custom Drums, Snap Jack Cables, Pigtronix Effects Boxes, Waldorf Software, Wallander Instruments Software, Softube Plugins, Sample Logic Software, FXpansion Software, Amplisonic Amps e Megatone Pedals.

 Há também um novo CD que será lançado em breve, além de um filme em processo de produção. O CD, sua performance no palco e o filme, com toda certeza agradarão e muito os fãs de artistas como Rob Zombie, Alice Cooper, Marilyn Manson e naturalmente do próprio Criss Angel. Trata-se de uma envolvente mistura Industrial/Rock/Metal, baseada em uma fantasia obscura, carregada de um denso suspense na linha cult/underground.

Segue abaixo um vídeo onde ele fala por si mesmo – For English speakers: almost everything that´s written above (concerning professional Mick´s information) is said in the video below by Mick James himself: 

Who The F#CK is Mick James?

 Fica aqui a nossa dica e para quem quiser conhecer um pouco mais do fabuloso trabalho de Micky, vejam os links logo abaixo:

Site Oficial e Loja -> http://www.mickyjamesfos.com/
Advertisements

Alice Cooper – 18 Anos do Álbum The Last Temptation 

The Last Temptation

 O disco The Last Temptation – uma singela obra de Arte e Terror oferecida a nós pelo Mestre do Shock Rock, Alice Cooper – despejou uma quantidade de excelentes composições bem acima da média no mundo do Hard & Heavy. A despeito disso, na opinião de muitos fãs (e na minha, inclusive), não é um disco citado com a devida atenção e respeito.

 Lançado na véspera do Dia Mundial do Rock de 1994, o disco completa em 2012 (obviamente em 12/07/), joviais 18 anos de existência. São 10 faixas que provam que verdadeiros gênios podem se recriar por décadas: 1 – Sideshow; 2 – Nothing´s Free; 3 – Lost In America; 4 – Bad Place Alone; 5 – You´re My Temptation; 6 – Stolen Prayer; 7 – Unholy War; 8 – Lullaby; 9 – It´s Me e 10 – Cleansed By Fire.
 
 A formação da banda de Alice Cooper nesse disco, conta com o talento combinado de Stef Burns (guitarra), Greg Smith (baixo), Derek Sherinian (teclado), David Uosikkinen (bateria). Há também algumas participações especiais que acertaram em cheio: Don Wexler nas guitarras de Lost In America, John Purdell nos teclados de Lullaby, You’re My Temptation e It’s Me, além dos vocais estupendamente selvagens de Chris Cornell em Unholy War e Stolen Prayer.
 
 Todas as 10 músicas são excelentes e esse disco merece uma nota 9,95 – apenas para fugir do 10 absoluto. Agora chega de brincar de Rockpedia e vamos curtir um petardo da velha “tia” Alice. Rock On!

Nothing´s Free – Alice Cooper (Live Version)

Nothing´s Free – Alice Cooper (Studio Version)

 Escolhi postar duas versões da mesma música por trata-se de uma bela lição para pessoas que colocam preço em seu Caráter, sua Palavra e seu senso de Moral. Apesar das citações judaico-cristãs bastante evidentes em alguns de seus versos, fica igualmente evidente o conceito de Karma: tudo que vai, volta. Toda ação implica em reação. Tudo que fizermos sofre consequências, nessa ou em outra vidas. Nada fica por isso mesmo. Ninguém pode fugir de seus atos. Nada sai de graça. Em suma: Nothing´s Free.

Fontes e Referências: Coleção Particular & http://alicecooper.com/

I Never CryAlice Cooper (Official Video)

Alice Cooper

Vincent Damon Furnier – o mestre do Shock Rock mais conhecido pela alcunha de Alice Cooper – ao longo de sua já bem vasta carreira mostrou-se tremendamente hábil, transitando do Rock experimental ao Hard Rock, do Pop Rock à New Wave, tendo ainda se estabelecido na História da Música, como um dos artistas que ajudou a moldar o Heavy Metal tal qual o conhecemos.

Das suaves baladas às harmonias e arranjos agressivos, Vincent deixa explícito todo o seu talento musical e background que somente décadas de estrada podem conferir a um músico de seu naipe. Em seu nono disco de estúdio, Alice Cooper Goes To Hell (1976), temos na quinta faixa do mesmo uma sutil demonstração de seu indiscutível talento para baladas de Rock: I Never Cry.

Composta numa parceria entre Alice Cooper e seu então guitarrista Dick Wagner, essa canção em sua versão de estúdio é particularmente tocante e poeticamente falando bastante corajosa. Já na versão acústica logo abaixo, considero a simplificação dos arranjos uma maneira de torná-la ainda mais direta, permitindo que o coração seja capaz de ouvi-la sem interferência da audição…

I Never Cry – Alice Cooper

Fontes: Discografia Oficial & http://alicecooper.com/

Black Sabbath Reunites 2012 Vídeo com os melhores momentos da coletiva do Black Sabbath

Black Sabbath Reunites 2012 - Disco e Turnê

Abaixo temos em vídeo os depoimentos de Ozzy, Tony, Geezer e Bill em 11/11/11. Não estão legendados mas destaquei em Portugês as questões mais relevantes e curiosas que aconteceram durante a coletiva. Desperta ainda mais credibilidade o fato do produtor Rick Rubin já estar à mesa juntamente com a banda desde essa primeira coletiva.

Tony Iommi disse claramente que esse é o momento ideal e que “estamos indo muito bem”. O que mais me chamou a atenção foi a tranqüilidade deles ao responderem às perguntas, a descontração e a presença de espírito fazendo pequenas piadas e até mesmo ao corrigir Henry Rollins quando o mesmo cometeu uma “pequena” gafe ao perguntar sobre como foi ter aberto o show de Alice Cooper naquele mesmo lugar (Whisky a Go Go) anos atrás e se eles tinham alguma lembrança específica daquela noite, no que foi prontamente repondido (pelo que me pareceu a voz de Ward) num tom amistoso e ao mesmo tempo ligeiramente sarcástico, tão típico do humor inglês: “Sim, nós não abrimos para o Alice Cooper” – o que gerou gargalhadas generalizadas e Henry Rollins naturalmente riu e levou na esportiva: “Oh, vocês não abriram? Então o press está errado sobre isso”.

Black Sabbath Reunites 2012

Veio também uma vez mais oficialmente à tona, o fato de que Rick Rubin os abordava com muita constância nos últimos tempos e Osbourne de certa forma ainda deu seu endosso, por ter dito que já conhecia Rick enquanto produtor por muitos anos: “A escolha era óbvia”, disse o Prince Of Darkness. Butler quando abordado por Rollins dizendo que o faria falar (pois faz o tipo calado), declarou que o som estava de volta ao “velho estilo do Sabbath” e que era “muito bom fazer parte de tudo disso”.

Entre piadas, dúvidas e elogios, em síntese o que foi dito era muito do que todo nós esperávamos ouvir: o Black Sabbath pretende começar a gravar em Janeiro de 2012 e segundo Rick Rubin boa parte do processo já está a pleno vapor. Pelo visto podemos esperar um disco de gigantesco bom gosto e que faça jus às origens do Heavy Metal!

Fontes:  http://www.black-sabbath.com/
http://www.revolvermag.com/