Posts Tagged ‘Heavy Metal’

50 Anos de Doro Pesch – Long Live The Metal Queen!

Doro Pesch Young

Doro Pesch: Fase Warlock.

 Em 3 de junho de 1964, nascia em Düsseldorf, Alemanha, a mulher que se tornaria uma das mais importantes referências para o mundo do Hard Rock e Heavy Metal: Dorothee Pesch.

 Desde os primórdios com a banda Warlock, Doro Pesch já se destacava não por sua juventude, beleza e sensualidade (o que era um recurso até muito comum entre outras bandas com mulheres entre seus integrantes na época), mas fundamentalmente por sua indiscutível aptidão como vocalista e compositora, além de ocupar uma função muito pouco frequentada por mulheres em bandas de Rock com pegada mais agressiva – afinal de contas, estamos falando de 1982, ok?

 Emplacou músicas que viriam a se tornar verdadeiros clássicos do Metal. Hits como Burning The Witches, All We Are, Für Immer, East Meets West e I Rule The Ruins, viriam se unir futuramente a músicas igualmente impressionantes em sua carreira solo, tais como Rock OnUnholy Love, Hellraiser, Fall For Me Again e We Are The Metalheads (hino composto por Doro em comemoração aos 20 anos do Wacken Open Air Festival), entre tantas outras grandes composições que estão presentes ao longo de toda sua discografia. 

Doro Pesch, The Metal Queen.

Doro Pesch, The Metal Queen.

 Claro que não estamos falando da Alta Idade Média, mas imaginem como não era exatamente fácil há 30 anos, uma mulher convencer fãs e empresários de Rock, de que estava realmente à altura do desafio de liderar uma banda de Heavy Metal. Além do mais, não podemos nos esquecer de que o início dos anos 80 foram cruciais para o estilo e foi nesse contexto que se deu a ascenção dessa pequena alemã que mal saíra da adolescência. Se hoje em dia as mulheres estão cada vez mais presentes em bandas de Hard e Heavy, em funções antes totalmente dominadas por homens, saibam que Doro Pesch pode e deve ser considerada a grande matriarca dessa “pequena” revolução cultural no meio musical. Sob o comando de sua voz linda e marcante, o cenário musical começou a mudar bastante para as mulheres. Não é à toa que essa bela jovem de 50 anos foi aclamada mundialmente por uma alcunha que mescla carinho, reconhecimento e devoção: Metal Queen.

Doro Pesch

Doro Pesch.

 Fora dos palcos e dos estúdios, Doro tem interesse em pintura e artes gráficas, mantém atividades diversas como praticar boxe tailandês e participar ativamente de causas sociais ligadas aos direitos das mulheres – com a ONG Terre de Femmes – e também aos direitos dos animais – fazendo parte inclusive do grupo PETA. Suas conhecidas “roupas de couro” por sinal, não são de couro: tratam-se de imitações sintéticas desenhadas e produzidas pela própria Doro em prol de reafirmar seu discurso de proteção por nossos amados irmãos animais.

Doro Pesch: Rock On!

Doro Pesch: Rock On!

 Ainda que apontada como Rainha do Metal, ela explicita com extrema simplicidade seu Amor incondicional pelos fãs em toda e qualquer oportunidade, curvando-se diante de uma verdadeira legião de súditos, indo até eles durante os shows e deixando-se abraçar enquanto canta e se declara, como eu mesmo testemunhei pessoalmente quando esteve este ano no Brasil. Eu disse fãs? Pois saibam que Doro prefere… bem, na verdade faz questão de nos chamar de família a todo momento. Essa é a grande verdade.

 Não há atributos que melhor definam a Nobreza de uma alma que Compaixão e Humildade. E o espírito de Doro Pesch faz jus ao seu título de Metal Queen indo muito além da música.

All Hail The Metal Queen! Long Live Doro Pesch!

Fontes:
http://www.doromusic.de/
http://www.terre-des-femmes.de/
http://www.peta.org/international/

Advertisements

Heavy MetalSyren lança vídeo oficial para The End

Heavy Metal: Syren.

Heavy Metal: Syren

 Estou para produzir uma matéria sobre a Syren há algum tempo. Ouvi algumas vezes o trabalho da banda, assisti alguns vídeos e fiquei abismado pelo timbre e alcance de Luiz Syren, um vocalista monstruosamente acima da média, acreditem.

 Conheci o trabalho do Luiz – e da Syren, aliás, apelido do vocalista como já notaram – através de amigos que também me mostraram o trabalho de Renato Tribuzy e Hélio Oliva, ou seja, vocais top do Metal do Rio de Janeiro e, sendo assim, já tinha uma relativa certeza sobre a qualidade. Certeza essa que se tornou absoluta rapidamente.

 A nova formação desta unidade de elite do Metal Carioca conta com o excepcional guitarrista Guilherme De Siervi, além do baixista Bruno Coe e do baterista Júlio Martins – que são duas verdadeiras máquinas de pancada no melhor sentido da palavra. Tudo é muito bem aparado, certeiro, preciso. 

Banda Syren em 2013.

Syren 2013 (Crédito: Cíntia Ventania)

 O disco será lançado ainda em 2013, chama-se Heavy Metal  e o tracklist é o seguinte:

1. Blindfold
2. Devil Road
3. The End
4. Stay Alive
5. Last Train To Hell 
6. Scourge Of Time
7. Heavy Metal
8. Keep Walking
9. Die In Paradise
10. Odyssey

 Bom, por agora chega de papo e quero apenas que vocês conheçam o som destruidor da Syren. A produção do vídeo é de Cíntia Ventania (baixista do Possessonica e do Scatha). Ah! Eu falei pra vocês que a voz de Luiz Syren lembra a de um certo Bruce Dickinson? 😉

The End – Syren (Official Video)

Fontes & Referências: http://www.officialsyren.com/home_br.htm

http://www.reverbnation.com/syrenband

https://myspace.com/syrenband

http://cintiaventania.com/

 

“Outro Lado” – Sioux 66 (Vídeo Oficial)

Sioux 66 (Foto: Thomas Henne)

Sioux 66 (Foto: Thomas Henne)

Igor Godoi - Vocals.

Igor Godoi – Vocal.

 Sioux 66 é apenas uma tremenda banda, saibam disso. E como tantas outras no Brasil, acaba perdendo um pouco de espaço para toneladas de bandas cover nas baladas de Rock da vida. Sim, bato novamente nessa tecla: gosto de algumas (poucas) bandas cover, considero super válido, não serei hipócrita de dizer que não gosto e amanhã ou depois, um de vocês topa comigo no Manifesto ou no Inferno Club bebendo e aproveitando a programação 90% cover – porque no final das contas, não tem jeito de fugir mesmo. Mas é algo burro e absurdo ignorar bandas autorais como essa. Que puta trampo bem feito!

 Resumindo os achievements recentes dos caras: eles “só” ficaram em 17º lugar entre as 25 bandas finalistas do Sweden Rock Festival 2013, no qual concorreram com mais de 1.500 bandas inscritas do mundo todo e que ficaram pelo caminho. “Só isso”. Eu votei nos caras, falei deles pra meio mundo, troquei uma ideia super rápida com o Bento (um dos guitarristas e responsáveis pelo Lokaos Rock Show – que por sinal muito admiramos e somos fãs) pelo Facebook em fevereiro desse ano (fui olhar o histórico e editei aqui, tinha colocado 2012, sorry), e eu só não tinha produzido nada sobre eles – até agora.

Fernando Mika - Guitar.

Fernando Mika – Guitarra.

 Segundo a própria Sioux 66, suas influências são: Guns N’ Roses, Rolling Stones, Ramones, Sex Pistols, Metallica, Kiss, Alice In Chains, Motorhead, Velvet Revolver, Skid Row, Ozzy e Sixx: A.M.

Fabio Bonnies - Baixo.

Fabio Bonnies – Baixo.

 “Boas referências não são garantia de boa música” – Concordo totalmente. Mas esse é um daqueles casos em que a banda faz jus às mesmas. O bom gosto é bastante perceptível em todos os detalhes dos arranjos e da produção.

Gabriel Haddad - Bateria

Gabriel Haddad – Bateria.

Bento Mello - Guitars.

Bento Mello – Guitarra.

 Para quem não acredita em Hard Rock visceral em Português, daqueles que beiram e até mesmo se mesclam venenosamente ao Heavy Metal, com sérias pitadas Punk Rock, segura essa porrada na orelha!

“Outro Lado” Sioux 66 (Vídeo Oficial)

P.S. – Quem sabe agora que está tocando no rádio, o pessoal dê mais atenção, não é?

Fontes: http://sioux66.com.br/

https://www.facebook.com/sioux66oficial

All We AreDoro Pesch & Warlock (Official Video)

Warlock Triumph and Agony Cover

Triumph And Agony

 Triumph And Agony (1987) é o quarto e derradeiro álbum do Warlock, banda cujo maior feito além de ter composto músicas simplesmente fantásticas – algumas das quais verdadeiros hinos do Heavy Metal – foi ter colocado ainda mais em evidência uma jovem que já na época revelava-se uma impressionante vocalista, mostrando-se mais do que digna do título que lhe foi conferido com o passar dos anos, Sua Majestade Imperial e Real, a Metal Queen, Doro Pesch.

 Por agora apenas reverenciemos toda a autoridade de Doro ainda nos tempos de Warlock… Rock On!!!

All We Are Doro Pesch & Warlock

“Stronger than a mountain of steel
Faster than hell on wheels
We’ve got we’ve got all the power we need
Let’s build a playground on this old battelfield”

Fontes & Referências: Discografia Oficial e http://www.doropesch.com/

I Never CryAlice Cooper (Official Video)

Alice Cooper

Vincent Damon Furnier – o mestre do Shock Rock mais conhecido pela alcunha de Alice Cooper – ao longo de sua já bem vasta carreira mostrou-se tremendamente hábil, transitando do Rock experimental ao Hard Rock, do Pop Rock à New Wave, tendo ainda se estabelecido na História da Música, como um dos artistas que ajudou a moldar o Heavy Metal tal qual o conhecemos.

Das suaves baladas às harmonias e arranjos agressivos, Vincent deixa explícito todo o seu talento musical e background que somente décadas de estrada podem conferir a um músico de seu naipe. Em seu nono disco de estúdio, Alice Cooper Goes To Hell (1976), temos na quinta faixa do mesmo uma sutil demonstração de seu indiscutível talento para baladas de Rock: I Never Cry.

Composta numa parceria entre Alice Cooper e seu então guitarrista Dick Wagner, essa canção em sua versão de estúdio é particularmente tocante e poeticamente falando bastante corajosa. Já na versão acústica logo abaixo, considero a simplificação dos arranjos uma maneira de torná-la ainda mais direta, permitindo que o coração seja capaz de ouvi-la sem interferência da audição…

I Never Cry – Alice Cooper

Fontes: Discografia Oficial & http://alicecooper.com/

Black Sabbath – Tony Iommi diagnosticado com linfoma em estágio inicial

Tony Iommi - The Rock ´N Roll Iron Man

 Não fico nada feliz em iniciar as atividades do Rock Universe em 2012 com uma notícias dessas…mas na vida nem tudo pode ser como queremos, não é mesmo?

Um dos patriarcas do Heavy Metal, a lenda viva do Rock ´N Roll, Tony Iommi, foi diagnosticado com linfoma ainda nos estágios iniciais da doença. Não há por enquanto informações quanto à categoria ou tipo de linfoma de Tony – esperemos é claro que seja um caso de “fácil” resolução. Na página oficial do Black Sabbath – onde a informação foi divulgada – foi feito também um apelo aos fãs em nome de Tony, Ozzy, Geezer e Bill, de que todos façamos uma mentalização positiva pela saúde e pronta recuperação de nosso tão querido Iron Man.

Claro que à essa altura todo mundo lembrou da volta do Black Sabbath anunciada no ano passado, que há um álbum em andamento e respectiva turnê para 2012 e que existem interesses empresariais e artísticos em jogo; contudo não podemos nos esquecer que se Tony não estiver devidamente recuperado, as coisas podem ficar bastante complicadas. Cá entre nós o bem estar do ser humano deve estar sempre em primeiro lugar, depois a preocupação com o trabalho e demais aspectos da Vida. Vamos mentalizar para que o Iron Man do Rock ´N Roll limpe o excesso de ferrugem, lubrifique as juntas e calibre o espírito o quanto antes.

Fonte: https://www.facebook.com/BlackSabbath
Linfoma e suas classificações: http://pt.wikipedia.org/wiki/Linfoma
ABRALE (Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia): http://www.abrale.org.br/doencas/linfoma/index.php

Winds Of Change – Bruce Dickinson

Bruce Dickinson

Bruce Dickinson além de ter uma voz que está entre uma das melhores e mais marcantes vozes do Rock, tem um talento especial para compor baladas de gosto indiscutível como é o caso de Winds Of Change. Sempre considerei muito curioso, interessante e certamente bastante positivo, o fato de um sujeito que tem sua carreira, praticamente toda ela construída pelos caminhos do Heavy Metal, conseguir produzir músicas lentas excepcionalmente belas sem sequer correr o risco de comprometer sua reputação – até mesmo junto aos mais inflexíveis headbangers. Características como essa traçam os limites e diferenças entre os verdadeiramente talentosos e aqueles que são única e simplesmente bem produzidos por gravadoras.

Winds Of Change trata-se de um B-Side lançado originalmente no single do primeiro disco solo de Bruce, o igualmente aclamado e questionado Tattooed Millionaire (1990). A produção ficou a cargo de Chris Tsangarides que já trabalhou com nomes como Judas Priest, Ian GillanHelloween, Yngwie Malsmteen, Tygers Of Pan Tang, Anvil, Thin Lizzy, Gary Moore, Loudness, Overkill, Killing Joke, Exodus, Angra, King Diamond, TNT, Sinner, Tokyo Blade e Black Sabbath entre outros. Bruce conta em seu álbum de estréia com Jenick Gers (na guitarra, naturalmente), Andy Carr (baixo) e Fabio Del Rio (bateria). A versão acústica logo abaixo é uma das minhas favoritas. Boa viagem.

Winds Of Change – Bruce Dickinson

“…Look around and have your visions of what is and what could be
Letting loose imagination, make your own reality…”

Fontes: Discografia oficial e http://en.wikipedia.org/wiki/Main_Page