Posts Tagged ‘Ozzy Osbourne’

Ouça aqui o single God Is Dead?, a nova música do Black Sabbath!

God Is Dead?

God Is Dead?

 Desde o título à própria capa, a música God Is Dead? faz referência explícita ao pensamento denso e antidogmático de Nietzsche – por um acaso, um dos meus filósofos favoritos.

 Achei a composição ótima, mas já deram início ao Muro das Lamentações do Rock, reclamando do andamento, duração, etc, etc e etc. Numa boa? Acredito que se essa mesma música tivesse sido composta e gravada nos anos 70, metade das pessoas não iria reclamar ou colocar defeitos. Sim, é preconceito mesmo. Não da parte de todos, mas de muita gente. 

A arte é de Heather Cassils e essa música estará no novo disco, batizado simplesmente 13. Ouça e tire suas conclusões.

God Is Dead? Black Sabbath

Fonte: http://www.youtube.com/user/OfficialSabbath

Advertisements

Led Zeppelin anuncia o lançamento mundial de Celebration Day

Led Zeppelin: Celebration Day

 E eis que o Led Zeppelin ataca novamente. Após uma intrigante contagem regressiva de 5 dias na página oficial da banda (https://www.facebook.com/ledzeppelin), o site do Led disponibilizou uma lista de países e cinemas que participarão da exibição do show histórico que aconteceu em 10 de dezembro de 2007 na O2 Arena de Londres. Nesse dia, Robert Plant, Jimmy Page, John Paul Jones e Jason Bonham  o mais que legítimo herdeiro do trono deixado por John Bonham na bateria – mostraram que uma Lenda Sagrada do Rock nunca será esquecida e será sempre reverenciada.

Celebration Day – Led Zeppelin Forever

 Com lançamento mundial pela Omniverse Vision (que já trabalhou com Ozzy Osbourne, Bon Jovi e Peter Gabriel), salas em mais de 40 países e 1.500 telas exibirão no próximo dia 17 de outubro a performance do quarteto – aqui no Brasil poderemos assistir exclusivamente nas redes UCI e Cinemark. Apenas para frisar a importância histórica da música dos caras, lembrem-se que em 2007, 20 milhões de pessoas tentaram conseguir os ingressos, mas somente 18.000 puderam vê-los ao vivo após 27 anos desde sua última apresentação.

 Celebration Day  – Led Zeppelin (Trailer)

Vejam o setlist do Led Zeppelin nessa reunion de 2007:

1. Good Times Bad Times
2. Ramble On
3. Black Dog
4. In My Time of Dying
5. For Your Life
6. Trampled Under Foot
7. Nobody’s Fault But Mine
8. No Quarter
9. Since I’ve Been Loving You
10. Dazed And Confused
11. Stairway To Heaven
12. The Song Remains The Same
13. Misty Mountain Hop
14. Kashmir
15. Whole Lotta Love
16. Rock And Roll

Precisa dizer mais alguma coisa?

Fontes: http://www.ledzeppelin.com/ & https://www.facebook.com/ledzeppelin

Rock Universe Entrevista13 Doses com a banda Holiness

Holiness em ação no Manifesto Rock Bar

 Depois de três muitíssimo bem sucedidas matérias sobre a Holiness aqui no Rock Universe, resolvi entrevistar o quarteto – coisa que aliás eu já vinha adiando há algum tempo diga-se de passagem. Já havia conversado previamente com a banda sobre isso e Stéfanie sugeriu o dia 10/06, que foi o dia de um show da Holiness juntamente com Semblant e Ravenland no Manifesto Rock Bar.

 Em virtude do trânsito incomum para aquele horário de domingo, chegamos um pouco depois do começo do show da Holiness que nesse noite foi a banda de abertura. Entre pautas, anotações e adendos, assistimos Stéfanie Schirmbeck, Cristiano Reis, Hercules Moreira e Fabrício Reis reproduzindo fielmente no palco seus registros de estúdio.

 Como minha intenção não foi (e não poderia ser naquela noite) fazer uma cobertura completa ou mesmo parcial das apresentações das três (excelentes) bandas, mas sim curtir os shows e depois realizar a entrevista, vamos adiante com o debut de nossa coluna de entrevistas que na verdade foi muito mais um bate-papo descontraído permeado por perguntas (dei até uma enxugada, pois por mim publicaria toda a conversa) que aconteceu logo após o show, no segundo andar do Manifesto. Com vocês, 13 Doses!

Holiness & Rock Universe no Manifesto

13 Doses – Rock Universe entrevista Holiness

1 – Quais as maiores mudanças pelas quais vocês passaram desde o lançamento de Beneath The Surface (2010) até agora? Muitas mudanças pessoais ou mais de ordem profissional mesmo?

Stéfanie Schirmbeck, vocalista da banda Holiness

Stéfanie Schirmbeck

 Stéfanie: As duas, pois não tem como ser de outra forma. Uma coisa puxa a outra, estão ligadas, são coisas que vão caminhando em paralelo no cotidiano até quando não percebemos.

2 – Mais cedo ou mais tarde boa parte das bandas profissionais brasileiras acaba migrando para São Paulo. Como tem sido a adaptação de vocês de uma maneira geral? Muito estranhamento ainda?

 Cristiano: Vimos que muita coisa não é exatamente como esperávamos. O público procura muito mais bandas cover do que autorais. Não adianta nada reclamarem de que não surgem novas bandas autorais se quando elas aparecem, as pessoas sequer querem ir aos shows para conhecê-las – nem que seja para dizer “Ok, vim, ouvi e não gostei”. Mas quando o papo é banda cover, vemos filas nas portas dos lugares e casas cheias. Não temos nada contra bandas cover, mas isso é o inverso do que deveria ser (Nota: nesse momento toda a banda se manifesta em concordância com Cristiano).

3 – A cena tem se tornado mais unida nos últimos anos? Algo já mudou após o fiasco do M.O.A. ou do último Rock In Rio por exemplo?

 Hércules e Stéfanie: Ainda falta união sim. Essa troca, esse apoio mútuo, todo mundo junto lutando por todos é algo necessário. Sem essa separação toda de cada um só querer ver o seu lado.

 Stéfanie: Hoje por exemplo nós estamos abrindo para a Semblant, eles abrem para nós em outro show e por aí vai. Claro que estamos na mídia também, na MTV, MixTV, aparecendo em outros canais, mas isso não é tudo: essa união entre as bandas deve ser permanente e esse sentimento de união deve se estender ao contato direto com os fãs, que é algo que nós adoramos fazer! Estamos sempre em contato com todo mundo via Facebook e Twitter.

4 – Muitas bandas em ascenção têm mantido uma postura cada vez mais profissional em todos os sentidos. Vocês acham que, ao menos em parte, isso tem colaborado para despertar o interesse dos fãs de Rock/Metal em geral?

Banda Holiness ao vivo no Manifesto Rock Bar

Holiness ao vivo no Manifesto Rock Bar

 Stéfanie e Cristiano: Acreditamos que sim e falando por nós, fazemos questão de oferecer um show de qualidade e não falamos apenas do som em si. Além de toda a parafernalha de áudio, nós temos também nossos próprios equipamentos de luz, fumaça, efeitos, ou seja, procuramos ter toda a estrutura profissional que uma banda internacional possa vir a oferecer. Não tem como haver essa desculpa quanto à qualidade do show. O que você vai ver em um show gringo não é diferente daquilo damos ao público ao vivo. Estamos combatendo e desconstruindo essa mentalidade de que só a banda gringa vai te dar uma puta apresentação. Dependendo do estilo de apresentação de uma determinada banda grande no palco, muitas vezes eles acabam usando o aparato mais básico, mas nós fazemos questão de dar ao público mais e mais espetáculo, não importa onde, não importa quando.

5 – Aproveitando a resposta anterior da Stéfanie falando sobre Social Media, temos justamente atentado desde o começo para o quanto vocês têm sido ativos nas redes sociais, sempre interagindo com os fãs, realizando promoções e respondendo a todos. Qual é para vocês o real tamanho, a real importância que as bandas devem dar aos seus fãs em se tratando de feedback? A era dos “Astros Intocáveis do Rock” está chegando ao fim?

Stéfanie Schirmbeck e Cristiano Reis, o casal da banda Holiness

Stéfanie Schirmbeck e Cristiano Reis: casal Metal

 Stéfanie: Sim, definitivamente. Como estávamos falando, estamos sempre interagindo, observando, colhendo esse feedback na web, nas redes sociais, afinal de contas é preciso estar antenado com tudo que acontece. Deve-se ter visão comercial também, teu público é o teu cliente. Não é só disco, show e pronto. O movimento gerado pelo teu trabalho enquanto músico acontece antes, durante e depois dos shows. Muitas vezes o estrelismo de certos artistas vem acompanhado de despreparo no que diz respeito a quem é teu público e à visão comercial que deveriam ter. Digo essas coisas no sentido de saber quem é o teu fã e o que ele curte, do que gosta, aonde ele vai, que lugares frequenta, tanto dentro quanto fora da web.

6 – Stéfanie, no final do show você falou em singles ainda esse ano. Qual o ritmo atual da Holiness com o 3º clip recém-lançado (Mine) e shows rolando cada vez mais? O tempo tem se tornado muito curto para fazer tudo?

 Stéfanie: Sim, o tempo encurtou mesmo, mas os singles estão em andamento. Basta administrar esse tempo entre shows, viagens e gravações (Nesse momento admiti à banda o meu alívio quando lançaram o 3º clip e mais ainda ao saber dos singles).

7 – Estamos em pleno século XXI, mas não tem como evitar a pergunta: você(s) percebe(m) algum tipo de preconceito contra as mulheres que integram bandas de Rock/Metal hoje em dia?

Stéfanie Schirmbeck ao vivo no Manifesto

Stéfanie Schirmbeck: potência e controle

 Stéfanie: Olha, eu pessoalmente nunca passei por nada desse tipo. Até acredito que esse tipo de coisa ainda role, mas que esteja se tornando algo cada vez mais raro de acontecer.

8 – Hércules, na sua opinião, existe algo imprescindível para ser um bom baixista de metal? E quais são as suas influências? (Nota do Rock Universe: Hercules deixou a banda algumas semanas depois, enquanto ainda editávamos a presente matéria)

Hercules Moreira Baixista da banda Holiness

Hercules Moreira

 Hércules: Basicamente seguir um estudo específico voltado para aquilo que você precisa. Técnica de 3 dedos por exemplo é importante no Metal, assim como velocidade e marcação. Minhas referências são trabalhos solo de baixistas desconhecidos do grande público. Dos mais conhecidos eu apontaria John Myung (Dream Theater).

9 – Cristiano, a mesma pergunta para você: o que é essencial para um baterista e quais suas influências?

Cristiano Reis baterista da banda Holiness

Cristiano Reis

 Cristiano: Estudar os elementos presentes na Bossa e no Jazz ajuda muito. Outra coisa que muita gente não se liga, são as famosas marching bands dos EUA – os caras fazem coisas incríveis! Recomendo também Mike Portnoy (Dream Theater), Travis Orbin e o som do Lamb Of God.

10 – Fabricio, a mesma coisa: o que é importante e quem te influenciou/influencia?

Fabricio guitarrista da banda Holiness

Fabricio Reis

 Fabricio: Considero importante conhecer tudo e ouvir muita coisa. Te confesso que não sou adepto de teoria, vou mais naquela de usar determinados elementos para ir criando o meu próprio som. Tenho referências? Sim, mas quero sempre aplicá-las sem simplesmente clonar alguém. Tenho ídolos, existem sim aqueles caras que digo “Putz, que foda!”, mas quero também “ser o meu som” e a minha própria referência. Tanto a parte técnica quanto o clima, texturas e atmosfera são importantes num som de guitarra. Levando tudo isso em conta, posso citar o The Edge (U2), John Petrucci (Dream Theater) e Zakk Wylde (Ozzy Osbourne, Pride & Glory e Black Label Society)

(Essa mesma pergunta sobre influências e principais atributos para vocalistas será feita à Stéfanie exclusivamente na série de entrevistas que iremos inaugurar no Rock Universe somente com vocalistas nacionais. Ela já está ciente disso, portanto, aguardem por essa e por outras novidades em breve)

Stéfanie e Fabricio no Manifesto Rock Bar

Stéfanie e Fabricio no Manifesto

11 – O que é o melhor e o pior de estar na estrada e em estúdio?

 Stéfanie e Cristiano: Na estrada o grande lance, a parte legal, é a interação. Ver como as coisas funcionam no show, como o público se comporta, como são as reações. Esse contato te dá um outro tipo de feedback que só podemos ver ao vivo, no palco mesmo. O lado ruim são as condições ruins de transporte e estrutura de alguns lugares para os músicos.

 Cristiano: No estúdio também tem os dois lados. Às vezes tu fica sem saída, vê que alguma coisa não tá rolando… Procura o caminho, mas não rola. Uma nota, uma levada, alguma coisa não se encaixa, sabe? Daí, enquanto essa resposta não surge, tu quebra a cabeça mais um pouco e… nada! Tu vai dormir, acorda mais tarde e de repente, sem pensar muito naquilo, depois de praticamente quase não conseguir dormir, a solução aparece. Nesse momento retomamos a parte boa que começa no processo de composição: você grava, acerta tudo e depois com tudo gravado, tu ouve e fica meio bobo. Escutando aquilo tu pensa: “Nossa! A gente fez isso? Putz, que legal!” – Nós fazemos questão de manter um padrão elevado do começo ao fim, em cada passo que faz parte do processo como um todo, da composição à finalização, mas mesmo assim ainda fica aquela mistura de alegria e surpresa quando o material está pronto. É foda ver a Arte nascer, ainda mais a tua própria.

12 – E quanto às bandas veteranas? Elas têm acolhido bem as mais recentes? Como tem sido com vocês?

 Cristiano: Da nossa parte não podemos reclamar. Acredito que manter uma postura profissional desde o começo, nos mínimos detalhes, talvez ajude. Mesmo uma banda jovem e/ou composta por jovens, hoje em dia não são mais meros aventureiros da música.

13 – Não existe fórmula mágica para o sucesso, mas vocês apontariam alguns atalhos honestos para quem está tentando começar? 

 Stéfanie: Antes de tudo é se valorizar, não aceitar situações humilhantes. Não te curve para imposições absurdas, não paguem para tocar. Por favor, não paguem para tocar! Não aceitem qualquer condição que te desrespeite enquanto profissional, enquanto músico, enquanto uma pessoa digna que leva a sério o que está fazendo, enquanto alguém que se ama e que ama a sua própria música.

É isso aí, 13 Doses devidamente consumidas até a última gota. 

 Como eu falei no início da matéria, foi uma noite com as bandas Holiness, Semblant e Ravenland. Não tivemos tempo hábil nesse dia para topar com o pessoal da Ravenland nem antes e nem depois do show, mas como os laços da Holiness se estendem fortemente à Semblant, vejam só quem apareceu no meio da entrevista:

Sergio Mazul, Mauricio R. Cozer e Mizuho Lin. Vocalistas da Semblant com Rock Universe

Sergio Mazul, eu e Mizuho Lin: os vocalistas da Semblant fazendo uma participação especial.

 Tanto o Sérgio quanto a Mizuho são duas pessoas extremamente receptivas. Aliás, aquela minha foto com a Holiness lá começo da matéria foi um favor pedido ao grande Sérgio (valeu, irmão!). Esse tal laço entre Holiness e Semblant se traduz muito bem através de outro simpatissíssimo casal do Metal Nacional:

Fabricio Reis e Mizuho Lin

Mizuho Lin & Fabricio Reis: casal símbolo da aliança Semblant & Holiness

 E foi nesse longo e tumultuado momento pós-show que os integrantes da banda Holiness uma vez mais esbanjaram sua costumeira simpatia e todo seu profissionalismo (como sempre falo, essa palavra é uma tônica quando se fala da banda), mesmo cansados e dando atenção aos fãs que pediam fotos e demais veículos presentes que os abordavam.

 O Rock Universe agradece à banda e deseja que a estrada do Rock ´N Roll continue sempre recompensando seu inquestionável talento.

Holiness ao vivo

Holiness: Rockin´ The Night Away!

ROCK ON!!!

Fontes e Referências Oficiais:

YouTube Oficial Holiness: http://www.youtube.com/user/officialholiness/videos

MySpace Holiness: http://www.myspace.com/officialholiness

Facebook – Fanpage: https://www.facebook.com/HolinessBrasil

Facebook – Perfil: https://www.facebook.com/officialholiness

Twitter – @BandaHoliness: http://twitter.com/BandaHoliness

Show do Black Sabbath nos EUA em agosto?

1978 Black Sabbath

Black Sabbath: show nos EUA em agosto?

 Enquanto esperamos por uma palavra final sobre a turnê e formação do Black Sabbath, boatos não faltam, dúvidas sobram, mas dessa vez a fonte de um desses “boatos” é um tanto quanto confiável: Sharon Osbourne.

A esposa e empresária de Ozzy Osbourne declarou há poucas horas a Dave Basner (da VH1 Radio Network), a existência de uma data ainda não divulgada para um futuro show da banda nos Estados Unidos, contudo adiantou que a mesma se dará em agosto. Sharon fez questão de deixar bem claro que não se trata ainda de um anúncio oficial, que ela mesma não sabe o dia exato, mas que esse show acontecerá de fato no mês citado. Quando perguntada sobre as gravações do novo disco, Sharon afirmou que as coisas vão de vento em popa: segundo ela já foram escritas 15 músicas. Em relação à possível formação para esse show, e mais precisamente sobre a presença de Bill Ward, suas palavras foram:

“Nós ainda não sabemos, nós realmente não sabemos. Vai depender do Bill. A porta está aberta para ele se juntar a nós, então isso é com ele.” – Sharon Osbourne.

Não sei se fico com mais ou menos dúvidas depois disso…o jeito é continuar torcendo.

Fonte: http://www.black-sabbath.com/

Children Of The GraveBlack Sabbath Reunion (1997 – Official Video)

Álbum Reunion do Black Sabbath

Reunion: formação original ao vivo em 1997

 Enquanto não temos muita certeza acerca do destino do Black Sabbath original, vale relembrar um impressionante registro histórico capturado ao vivo em 1997, lançado em 1998, no qual temos exatamente aquilo que os fãs querem há décadas: Ozzy, Tony, Geezer e Bill reunidos e mandando brasa – o que por um acaso acontece nesse fantástico disco duplo que ficou conhecido como Reunion.

Tudo bem que lá se vão 15 anos desde essa gravação, os quatro já não eram mais garotos há tempos, mas alguém duvida que a performance seria (ou será) hoje em dia, algo assim tão diferente? Duvido muito…

Vamos torcer para que as questões contratuais referentes a Bill Ward acabem se ajustando, para que Geezer Butler continue disposto a pegar a estrada, que Ozzy Osbourne possa eleger sua banda original como prioridade – não importa quanto tempo isso possa levar – e principalmente para que Tony Iommi esteja 189% recuperado o quanto antes, primeiramente para que sua vida se prolongue sem mais sustos e tropeços, que possa continuar conosco por mais algumas décadas, e como uma etapa complementar, que retome seu posto como Riff Master do Rock ´N Roll!!!

Children Of The Grave – Black Sabbath

Fontes: Discografia Oficial & http://www.blacksabbath.com/
http://www.black-sabbath.com/

Black Sabbath cancela tour de 2012!

Black Sabbath Reunites 2012

Black Sabbath Reunites: turnê de 2012 cancelada

 A notícia não é das melhores mas também não é das mais terríveis: devido ao linfoma de Tony Iommi, o Black Sabbath não poderá realizar a tão esperada turnê 2012, anunciada em novembro do ano passado. O idolatrado Iron Man segue com o tratamento, contudo ele não estará suficientemente recuperado para cumprir com a pesada agenda inicialmente planejada.

As gravações do novo disco seguem com relativa normalidade e apesar do cancelamento, a banda fará uma única apresentação dia 10 de Junho, no Download Festival, em Donington, Reino Unido. Como criou-se uma enorme expectativa e muita coisa foi movimentada, no lugar do Black Sabbath foi anunciada uma tour intitulada Ozzy & Friends, que será naturalmente uma turnê do Prince Of Darkness, Ozzy Osbourne, e que contará ainda com algumas participações especiais como Geezer Butler, Zakk Wylde e Slash, os três confirmados até o momento.

Conheça agora as datas da Ozzy & Friends Tour

-23/05 – Helsinki, Finlândia – Hartwall Arena

-25/05 – Estocolmo, Suécia – Stadium

-27/05 – Jelling, Dinamarca – Jelling Festival

-29/05 – Bergen, Noruega – Bergen Calling Festival

-31/05 – Oslo, Noruega – Spektrum

-02/06 – Malmo, Suécia – Malmo Stadium

-04/06 – Dortmund, Alemanha – Westfalenhalle

-06/06 – Praga, República Tcheca – O2 Arena

-15/06 – Vitoria, Espanha – Azkena Rock Festival

-17/06 – Clisson, França – Hellfest

-22/06 – Dessel, Bélgica – Graspop Metal Meeting

-24/06 – Milão, Itália – Gods of Metal Festival

-26/06 – Viena, Áustria – Stadthalle

-28/06  – Belgrado, Sérvia – USCE Park

-01/07 – Atenas, Grécia – Rockwave Festival – Terra

Fontes: http://www.blacksabbath.com/
http://www.ozzy.com/us/home
http://www.downloadfestival.co.uk/
https://www.facebook.com/BlackSabbath

Paranoid – Ozzy Osbourne & Metallica

Ozzy & Metallica

Na comemoração do 25º aniversário do Rock ´N Roll Hall Of Fame (2009), Ozzy Osbourne subiu ao palco juntamente com Metallica no Madison Square Garden, e em uma performance histórica os fãs foram abençoados com versões ao vivo de dois eternos clássicos do Black Sabbath: Iron Man e Paranoid.

Vale publicar aqui pelos motivos óbvios…e também para mostrar que até mesmo o costumeiramente desagradável Lars Ulrich presta reverência ao nosso idolatrado Prince Of Darkness.

Paranoid – Ozzy & Metallica

Fontes e Referências:  http://www.ozzy.com/us/home
http://www.metallica.com/