Posts Tagged ‘Rock On’

50 Anos de Doro Pesch – Long Live The Metal Queen!

Doro Pesch Young

Doro Pesch: Fase Warlock.

 Em 3 de junho de 1964, nascia em Düsseldorf, Alemanha, a mulher que se tornaria uma das mais importantes referências para o mundo do Hard Rock e Heavy Metal: Dorothee Pesch.

 Desde os primórdios com a banda Warlock, Doro Pesch já se destacava não por sua juventude, beleza e sensualidade (o que era um recurso até muito comum entre outras bandas com mulheres entre seus integrantes na época), mas fundamentalmente por sua indiscutível aptidão como vocalista e compositora, além de ocupar uma função muito pouco frequentada por mulheres em bandas de Rock com pegada mais agressiva – afinal de contas, estamos falando de 1982, ok?

 Emplacou músicas que viriam a se tornar verdadeiros clássicos do Metal. Hits como Burning The Witches, All We Are, Für Immer, East Meets West e I Rule The Ruins, viriam se unir futuramente a músicas igualmente impressionantes em sua carreira solo, tais como Rock OnUnholy Love, Hellraiser, Fall For Me Again e We Are The Metalheads (hino composto por Doro em comemoração aos 20 anos do Wacken Open Air Festival), entre tantas outras grandes composições que estão presentes ao longo de toda sua discografia. 

Doro Pesch, The Metal Queen.

Doro Pesch, The Metal Queen.

 Claro que não estamos falando da Alta Idade Média, mas imaginem como não era exatamente fácil há 30 anos, uma mulher convencer fãs e empresários de Rock, de que estava realmente à altura do desafio de liderar uma banda de Heavy Metal. Além do mais, não podemos nos esquecer de que o início dos anos 80 foram cruciais para o estilo e foi nesse contexto que se deu a ascenção dessa pequena alemã que mal saíra da adolescência. Se hoje em dia as mulheres estão cada vez mais presentes em bandas de Hard e Heavy, em funções antes totalmente dominadas por homens, saibam que Doro Pesch pode e deve ser considerada a grande matriarca dessa “pequena” revolução cultural no meio musical. Sob o comando de sua voz linda e marcante, o cenário musical começou a mudar bastante para as mulheres. Não é à toa que essa bela jovem de 50 anos foi aclamada mundialmente por uma alcunha que mescla carinho, reconhecimento e devoção: Metal Queen.

Doro Pesch

Doro Pesch.

 Fora dos palcos e dos estúdios, Doro tem interesse em pintura e artes gráficas, mantém atividades diversas como praticar boxe tailandês e participar ativamente de causas sociais ligadas aos direitos das mulheres – com a ONG Terre de Femmes – e também aos direitos dos animais – fazendo parte inclusive do grupo PETA. Suas conhecidas “roupas de couro” por sinal, não são de couro: tratam-se de imitações sintéticas desenhadas e produzidas pela própria Doro em prol de reafirmar seu discurso de proteção por nossos amados irmãos animais.

Doro Pesch: Rock On!

Doro Pesch: Rock On!

 Ainda que apontada como Rainha do Metal, ela explicita com extrema simplicidade seu Amor incondicional pelos fãs em toda e qualquer oportunidade, curvando-se diante de uma verdadeira legião de súditos, indo até eles durante os shows e deixando-se abraçar enquanto canta e se declara, como eu mesmo testemunhei pessoalmente quando esteve este ano no Brasil. Eu disse fãs? Pois saibam que Doro prefere… bem, na verdade faz questão de nos chamar de família a todo momento. Essa é a grande verdade.

 Não há atributos que melhor definam a Nobreza de uma alma que Compaixão e Humildade. E o espírito de Doro Pesch faz jus ao seu título de Metal Queen indo muito além da música.

All Hail The Metal Queen! Long Live Doro Pesch!

Fontes:
http://www.doromusic.de/
http://www.terre-des-femmes.de/
http://www.peta.org/international/

Advertisements

2013 – O que esperar?

Peace_Love_Symbol_Símbolo_Paz_Amor_Rock_Universe

2013 – Rock On

Sabem o que eu espero de 2013? Nada. Eu nunca espero nada quando um novo ciclo se inicia. Não sou de ficar esperando coisa alguma, não é do meu feitio. E sabem a razão disso? Porque eu mesmo faço. Funciona comigo e certamente funciona com qualquer um. Claro que desejamos, oramos, mentalizamos, torcemos, só que o principal é obrigação nossa: fazer acontecer. Esperar é comodismo.

Esse ano foi bastante tumultuado para mim, por exemplo. Atrasei pautas, adiei entrevistas, adentrei madrugadas trabalhando pelo blog, fiz alguns freelances, atuei como redator, analista e consultor em social media. Ainda tive um emprego “convencional”, full time como revisor em uma agência, com horário para entrar e sem hora para sair – como em qualquer agência e em muitos outros empregos que tive.

Bebi, brinquei, ri, chorei, briguei, acertei e errei. Tentei, ensinei e aprendi. Fui a shows por lazer e outros por questões profissionais. Conheci ainda mais pessoas do ramo musical e de comunicação. Fiz amizades, confiei em pessoas erradas, fortaleci laços sinceros e cá estou. Tudo isso faz parte. Por mais que algumas coisas tenham sido desagradáveis, cada uma delas teve a sua utilidade disciplinar, agregou de alguma forma. Costumo dizer que em absolutamente qualquer coisa nessa vida posso ver o lado bom. A título de brincadeira e verificação, já fui desafiado por muitas pessoas por ter dito isso. Até então, em todas as hipóteses formuladas, nunca “perdi” nesse jogo, pois sempre há um lado bom em tudo, ou seja, é seguramente impossível “perder” ao se buscar algo de positivo, seja qual for a situação.

Nem sempre as coisas saem como planejamos, e isso jamais pode se tornar um motivo para jogar a toalha. Segure a onda, espere o final de mais um round, dê aquela respirada, molhe o rosto e volte pra luta. Sim, a vida é uma Luta na maior parte do tempo. E nada justa, diga-se de passagem. Eventualmente, ela pode se tornar um Dança. Aprenda os passos e saiba que o ritmo pode mudar quando menos se espera. Será também uma Corrida e um Duelo permanente em franca desvantagem. Aceite e supere, não vai se arrepender.

E sabe quais serão suas opções até o fim? Correr e chegar. Lutar e vencer. Dançar e sorrir. A instrução é uma só: faça e não espere que façam por você. Força de Vontade, Garra, Persistência, Obstinação. Tudo isso já existe em cada um de nós, basta descobrir um motivo pelo qual fazer funcionar. Eu já tenho. E você?

O que você quer? De que forma? O quanto realmente quer?

Só você poderá responder, apenas você será capaz de alcançar os seus objetivos e somente você poderá dizer quais são os seus limites. E se esses limites de fato existem. 😉

2013 = Peace, Love, Wisdom & Rock On!