Posts Tagged ‘SUN’

SUN & MISCONDUCTERS

SUN & MISCONDUCTERS

Na 14ª edição da The Ace of Spades Rock Party, que rola sempre no Spades Cafe SP, com mais duas bandas com excelente material próprio lançado, em português e inglês. 27º e 28º nomes inéditos em nossa festa: SUN e MISCONDUCTERS!

SUN – Inicialmente conhecida como Sunsarah, a banda foi reformulada e em 2013, após algumas mudanças, seguiu adiante rebatizada como SUN e já lançou um disco com a nova formação, o SUN I. Já escrevi algumas vezes sobre a banda e fui em alguns shows. São músicos realmente experientes, criando arranjos muito acima da média, letras incrivelmente bem escritas e produção impecável . A SUN é formada por: Marco Leão (Vocal), Alan Dias (Guitarra & Vocal), Paul Martins (Guitarra & Vocal), Mauro Mattosinho (Baixo) e Beto Patressi (Bateria).
http://www.sunoficial.com.br/
https://www.facebook.com/bandasun
https://soundcloud.com/bandasun

MISCONDUCTERS – Formada em 2008, em Londres, Inglaterra, a MISCONDUCTERS já tem 3 discos lançados, 4 EPs e evidentemente uma longa história. A banda já tocou em palcos ingleses ao lado de nomes lendários como Discharge, English Dogs e vários outros, tem resenhas em sites e revistas da Europa, EUA e Brasil. A MISCONDUCTERS é formada por: Den (Guitarra e Vocal), Brisa (Baixo) e Vitão (Bateria).
http://www.misconducters.com/
https://www.facebook.com/Misconducters
https://misconducters.bandcamp.com/album/boundless

Serviço:
14ª THE ACE OF SPADES ROCK PARTY
Facebook da 14ª edição: https://www.facebook.com/events/753103788144314
Discotecagem com Rodrigo Branco (DJ, locutor/apresentador/produtor, KISS FM)
Dia: Sexta-feira, 15/05
Hora: A partir das 23h30
Entrada: MULHERES – R$ 10 / HOMENS – R$ 15
Onde: SPADES CAFE SP
Endereço: Rua Augusta, 339
https://www.facebook.com/spadescafesp

Advertisements

“PREGUIÇA”SUN (Vídeo Oficial)

"PREGUIÇA" - SUN

“PREGUIÇA” – SUN

Escrever sobre Rock é complicado às vezes. Quando você realmente conhece a cena e tudo que rola, acaba com uma sobrecarga de informações e eventos, fica difícil hierarquizar a pauta e você se vê afogado em matérias a serem publicadas. Esse é exatamente o meu caso. Eu mal pude respirar da resenha do álbum de estreia da SUN, o SUN I, e na mesma noite já estava a caminho do Ozzie Pub: show da banda e o lançamento do clip da faixa Preguiça.

Aliás, que produção impecável! Ficou muito bom mesmo. Gostei muito da proposta, direção e fotografia. Para um diretor estreante ficou bastante acima da média. Pois é, o sujeito é estreante e já começou mandando bem demais, está realmente de parabéns. Ainda há uma curiosidade bastante honrosa e favorável sobre a montagem do vídeo. Diretamente do YouTube da banda:

Dirigido pelo estreante Fábio Muniz, o videoclipe de “Preguiça” foi montado pelo italiano Martino Frongia. Radicado no Brasil, Martino viaja o mundo atuando ao lado de renomados diretores e paticipando de produções como “Avatar” e a trilogia “Senhor dos Aneis“. Toda essa bagagem só ajudou a dar o toque final ao vídeo que mistura referências dos filmes mudos dos anos 50 com tecnologias modernas de pós produção para retratar a pressa e a preguiça que andam de mãos dadas conosco nesses tempos modernos.

Depois disso vou acrescentar mais o quê? Isso sim é amar e ter tesão pelo que se faz, acreditando e levando a música a sério. E vamos combinar uma coisa? Não dá pra ter preguiça de gente assim.


“Preguiça de entender o outro, preguiça de apostar no incerto
Preguiça de escutar um disco, se esforça pra entender um verso…”

Fontes e Referências:
http://www.youtube.com/user/bandaSUN/feed
http://www.sunoficial.com.br/
https://www.facebook.com/bandasun
https://soundcloud.com/bandasun
https://www.facebook.com/baserock.sp
Resenha do álbum de estreia, SUN I: https://rockuniverse.wordpress.com/2014/11/29/sun-i-uma-resenha-o-rock-brasil-esta-muito-vivo-obrigado/

SUN I: RESENHA DO CD DE ESTREIA DA BANDA SUN
SUN

SUN

O Rock tem muitas faces ao longo da história da música. Essas faces acabam se tornando rótulos. E esses rótulos acabam induzindo as pessoas a não conhecerem bandas muito, mas muito legais. As pessoas adotam posturas para provar algo que nem elas mesmas acreditam ou sequer entendem.

Classic? Hard? Heavy? Pop? O quanto isso diz sobre a beleza de uma banda de Rock? Eu acredito no Rock como um Universo a ser permanentemente explorado – não por um acaso o nome do blog é Rock Universe – e que rótulos dentro do gênero separam muito mais do que unem as pessoas. Ninguém deve se deixar aprisionar por medo, vergonha ou preconceito, seja no que for, principalmente quando falamos de abrir olhos, ouvidos e almas para as coisas boas da vida. Nesse quesito, a música é algo tão importante que chego a não acreditar que muita gente não ouça alguma coisa todo dia. Eu adoeço se não ouvir música diariamente e isso não é modo de dizer.

“O que tem essa ladainha toda a ver com a resenha, brother?” – É que fico pensando em quantas bandas do naipe da SUN estão perdidas pelo Brasil afora. Acompanho a evolução deles há alguns anos, já fui em alguns shows, escrevi sobre os caras, conheço versões mais antigas de algumas músicas e fico pensando: que orgulho em conhecer músicos e compositores desse nível no Rock. Gente que honra a história do Rock Brasil. Não é à toa que a SUN também faz parte do projeto Base Rock.

Vamos aos fatos: recebi em mãos um CD promo da banda, o SUN I, e fiz questão de dizer “pode ser que eu demore, mas vai rolar um resenha”. E aqui estamos.

SUN I

SUN I

São 15 faixas: 1 – Preguiça; 2 – Como Um Irmão; 3 – Viver; 4 – Desde O Início; 5 – Terra Longe; 6 – O Homem Que Sabia Voar; 7 – Um Em Mil; 8 – Papo De “Não Sei O Que”; 9 – Tudo Em Volta De Você; 10 – Marvin (um cover bem nervoso da versão dos Titãs para “Patches” de Dunbar e Johnson); 11 – Se Prepara; 12 – Por Onde Andei; 13 – Terra Longe (Acústica); 14 – Tudo Em Volta De Você (Acústica); 15 – Viver (Acústica).

Preguiça

Preguiça

Preguiça” abre o disco aos poucos… e de repente enfia o pé com tudo! Como em outras músicas da banda, a letra transita por questões pertinentes a qualquer um de nós, e nesse caso, carrega um tom crítico muito interessante quanto a coisas que realmente cansam pessoas que não são acomodadas. Quanto à música em si, arranjos e vocal que te pegam pelo pé, pelo braço e um belo dia, você está andando pela Paulista, dobra descendo a Augusta e se pega cantarolando vários trechos, totalmente indentificado com cada verso.

Como Um Irmão” vem com uma pegada mais romântica e você meio que sente a evolução dos sentimentos do personagem pelo arranjo – bom, eu consegui estabelecer uma análise em paralelo, fazíamos muito isso em Letras antigamente. “Viver” me deu vontade de olhar o sol nascendo, uma puta energia bacana, arranjo inspiradíssimo, lindo demais! Falando em sol – apesar de eu não ser um grande apreciador de luz e calor intensos -, sempre que ouço “Desde O Início” imagino peripécias de esportes radicais, viajo em minhas lembranças de ex-praticante de BMX: o som é quente, empolgante, corajoso, pé na estrada.

O Homem Que Sabia Voar

O Homem Que Sabia Voar

Terra Longe” tem um tom romântico reflexivo, mas ao mesmo tempo não é triste. As músicas da SUN tem uma energia muito boa e eles nunca abrem mão da composição bem amarrada. É como se guitarra, baixo e bateria respirassem juntos e estivessem em um dueto permanente com o vocal. “O Homem Que Sabia Voar” já traz no próprio nome o elemento lúdico que eu adoro na banda. E sabem o que é mais legal ainda? Essas e outras letras são carregadas de pensamentos e questionamentos sobre quem somos e o que nos incomoda no mundo de hoje. Não quero ficar repetindo isso toda hora, mas cada nota das músicas me convence totalmente. Timing, timbres, pausas, harmonias, tudo sempre muito bem colocado, são tiros de precisão musical. A SUN não tem por hábito esparramar notas sem sentido. Eles compõem pela música e para a música, e com isso você acaba se envolvendo até sem perceber.

Um Em Mil” me leva novamente ao sentimento de “Desde O Início“: puta som bem trabalhado, você fica imerso em empolgação, tanto pela letra quanto pela música em si. “Papo De ‘Não Sei O Que’” acelera desde o primeiro segundo e de repente pisa no freio para aproveitar a paisagem. Então pisa novamente e você sente as notas soprando no seu peito. A coisa segue dessa forma e sem que você espere algo mais, o final chega e é simplesmente eletrizante, maravilhoso demais, com um trabalho de guitarras destuidor, nossa. Nossa. Nossa!

Tudo Em Volta de Você” parece ter sido estrategicamente colocada logo depois da “Papo…” para podermos respirar um pouco do encerramento da mesma. E novamente uma tônica da banda: vocal e demais instrumentos conversam sem se atropelar, se completando, sustentando a letra com perfeição até o fim. Na sequência vem o cover de “Marvin” que dispensa apresentações (uma versão do original Patches, como citei mais acima e em outra matéria da banda) tendo por base a versão dos Titãs, mas com uma roupagem muito intensa, bem mais rocker, mais pesada mesmo.

Se Prepara” é cheia de groove, guitarra funkeada e uma letra bem sacana. É nessas horas que vemos a desenvoltura dos músicos e o quanto eles se envolvem na brincadeira sem perder a qualidade. Já escrevi sobre essa música há algum tempo e fico muito feliz que esteja presente nesse disco. “Por Onde Andei” eu também já conhecia e acredito que seja uma entrega de coração aberto, tanto na letra quanto na música. Aliás, essa é uma característica muito presente em todas as letras da SUN: elas são muito honestas, extremamente humanas e você se pega lembrando de suas experiências de vida. Já devem ter percebido o quanto sou fã da banda e como sou muito atento ao conteúdo das músicas de uma maneira geral, se vocês também forem, vão gostar muito do que a SUN tem a dizer.

As três últimas são versões acústicas para “Terra Longe”, “Tudo Em Volta de Você” e “Viver”. Belas versões por sinal.

Sobre a SUN

SUN: peitando o futuro do Rock Brasil sem medo.

SUN: Rock Brasil sem medo.

A voz de Marco Leão é naturalmente agradável, seja nas partes intensas ou nas suaves. Ele tem a medida exata da necessidade emocional de cada verso. É isso que um bom vocalista precisa saber antes de mais nada: saber usar sua voz natural, criar sua própria identidade, por mais que tenha grandes influências. Alan Dias e Paul Martins dividem-se nas guitarras como músicos extremamente maduros e experientes: as guitarras são veículos para a musicalidade, não o objetivo da música. Seus timbres e pegadas são maravilhosos. Bases e solos fluidos como todos deveriam ser. Mauro Mattosinho tem um som de baixo cheio de personalidade. Como todo baixista que admiro, ele sabe se fazer presente e tem uma marcação que me agrada, ainda mais nos trechos em que somente o baixo fala conosco. Beto Patressi fecha a banda e cria linhas de bateria que me fazem ter vontade de sentar numa bateria qualquer e mandar brasa. Domina a pancada e tem uma noção de swing que não deixa nada a desejar, gostei muito da forma que ele conduz e sustenta a coisa toda.

Sendo assim, não reclame do Rock Brasil: conheça a cena do Rock Brasil. Rock On!

Fontes e Referências:
http://www.sunoficial.com.br/
https://www.facebook.com/bandasun
https://soundcloud.com/bandasun
https://www.facebook.com/baserock.sp

Estou devendo um trilhão de matérias no Rock Universe, mas essa daqui – mesmo em cima da hora – merece me trazer dos “mortos”, atropelar a pauta e entrar em caráter urgência máxima: BASE ROCK!

BASE ROCK: Mattilha, SUN, Burlesca, Trezzy, Shocker e Sioux 66

BASE ROCK:  MATTILHA, SUN, BURLESCA, TREZZY, SHOCKER & SIOUX 66!

Como o show acontece hoje, 20/09, aqui na Augusta, não vou divagar muito desta vez, por mais que cada uma das 6 bandas mereça bem mais de uma matéria. O que posso dizer antes de colocar o material oficial do projeto é: já assisti 3 delas ao vivo e não me arrependi – sendo que escrevi sobre duas e fiquei devendo uma terceira matéria. As outras 3, amigos de confiança assistiram e disseram o mesmo. E agora teremos todas juntas.

BASE ROCK

BASE ROCK

Claro que eu e vocês temos mais uma porrada de bandas fodas para sugerir ao Base Rock, mas vamos combinar que os caras já estão começando com 6 bandas TOP do Rock autoral nacional, um pessoal que ama, respira e vive o Rock ´N Roll 24h/dia, 7 dias por semana. Aqueles sujeitos que se não estiverem no palco, estão nos bares, na baladas, bebendo, conversando, apoiando e prestigiando outras bandas e iniciativas da cena Rock.

Bom, chega de papo e vejam logo abaixo, diretamente do site e da fanpage oficial, quem são, de onde vieram, o que pretendem, como pretendem e o que todos ganhamos, fãs, músicos e imprensa especializada, com a BASE ROCK.

PROJETO BASE ROCK

A BASE ROCK foi criada para reconectar o rock no cenário nacional e ampliar o espaço na mídia para novas bandas autorais. Através de ações conjuntas a marcas consagradas no mercado, a Base Rock vai movimentar o circuito paulistano com shows e apoio na divulgação deste segmento.

A iniciativa partiu das 6 (seis) bandas paulistanas, Mattilha, SUN, Burlesca, Trezzy, Shocker e Sioux 66, que no conjunto da obra, são grupos atuantes e comprometidos com a massificação desse movimento. Somos 30 músicos envolvidos diretamente com o projeto.

“JUNTOS, SOMOS MAIS!”
Com este sentimento de a união faz a força e, mais que isso, com o objetivo de abastecer o mercado musical com novas bandas autorais, cumprimos com a primeira etapa deste projeto, desenvolvendo o site da BASE ROCK, bem como as Redes Sociais, respectivamente.

1ª ETAPA
Um dos objetivos da BASE ROCK é organizar eventos periódicos a cada 40 dias, aproximadamente, em casas noturnas na capital paulista, mantendo parte do elenco de bandas que compõem a BASE ROCK e abrindo espaço para outros grupos de rock autorais. Em breve informaremos os critérios de envio de material e avaliação. A participação é destinada exclusivamente as bandas de Rock Nacional AUTORAL.

2ª ETAPA
Para sustentar a originalidade e o compromisso com as novas bandas de rock nacional autorais, será criada a RÁDIO BASE ROCK na web que, ao acessar o site do projeto, o internauta já estará sintonizado a programação.

3ª ETAPA
Faz parte deste projeto o Festival Itinerante intitulado FOME DE ROCK, cuja formatação, produção e logística já estão a todo vapor.

O Festival FOME DE ROCK terá cunho social, com previsão para os meses de novembro e dezembro deste ano. Os shows terão a participação das seis bandas envolvidas no alicerce da BASE ROCK e a seleção de bandas de rock nacional autoral que farão parte do festival. Estamos avaliando a possibilidade de uma atração de grande porte para impulsionar Festival Fome de Rock.
Em breve, informaremos todos os detalhes para a participação das bandas.

LANÇAMENTO DO PROJETO BASE ROCK
O Evento de lançamento do projeto BASE ROCK está marcado para o dia 20 de setembro de 2014 (sábado) na Hole Club no bairro dos Jardins, com apresentação do projeto, seguido de pocket show com as bandas envolvidas.

Todos que comparecerem no evento ganharão um Cd Promocional da BASE ROCK, contendo duas músicas de cada banda envolvida no alicerce do projeto.

A Assessoria de Imprensa responsável pela comunicação do Lançamento do Projeto BASE ROCK ficou a cargo da Perfexx Comunicação, empresa conceituada e nacionalmente conhecida no show business.

NÓS SOMOS A BASE ROCK!

Então galera, agora que conhecemos um pouco mais sobre o projeto, espero que todos apoiem e parem de reclamar que “não tem banda autoral boa na cena”. Tem sim e muitas, muitas mesmo. Um festival desses está com ingressos entre R$ 10,00 e R$ 20,00 e apresenta 6 bandas excelentes de gente que não está brincando de fazer Rock ´N Roll.

1º FESTIVAL BASE ROCK
Bandas: Sioux 66, SUN, Trezzy, Burlesca, Shocker e Mattilha
DJ: Rodrigo Branco (Kiss FM)
Local: Hole Club | Rua Augusta, 2203 – Galeria América – Subsolo | (11) 98117-9292
Dia: 20/09
Horário: 22h
Ingressos: https://ticketbrasil.com.br/festival/baserock-sp/
Site oficial: http://www.baserock.com.br/
Facebook: https://www.facebook.com/baserock.sp

As bandas no Facebook
Sioux 66: https://www.facebook.com/sioux66oficial
SUN: https://www.facebook.com/bandasun
Trezzy: https://www.facebook.com/trezzypage
Burlesca: https://www.facebook.com/bandaburlesca
Shocker: https://www.facebook.com/shockerbandoficial
Mattilha: https://www.facebook.com/BANDAMATTILHA

ROCK ON!

“Marvin”Titãs (Versão da banda SUN)

Banda SUN com Marco Leão, Lafayeth Persaud, Serginho Souza e Gerson Reyes

Banda SUN – Foto de gravação do ensaio geral.

 Fiz uma crítica detalhada sobre a banda SUN há poucos dias no Rock Universe. Tremenda banda autoral. Os caras têm um puta talento, músicas excelentes e não fazem parte da cena Hard e Heavy a que todos estão acostumados. Mas são Rock autoral de primeira linha e, ao menos para mim, isso supera de longe o preconceito interno babaca da já enfraquecida cena. O que eu fiz? Matéria escrita, matéria publicada. Eis um trecho logo abaixo:
 
 “Prefiro MIL vezes um Rock Nacional autoral de qualidade, com letras e arranjos de nível Top, a bandas cover de Hard ou Metal.” – falei isso na matéria e mantenho o que disse. Podem me cobrar – mas antes, leiam na íntegra o que eu disse aqui: https://rockuniverse.wordpress.com/2013/01/17/banda-s-u-n-rock-brasil-nostalgico-e-moderno/
 
 Então, como se não fosse o bastante, os senhores Marco Leão, Lafayeth Persaud, Serginho Souza e Gerson Reyes, me acertam os ouvidos com a releitura mais Rock ´N Roll de TITÃS que eu já ouvi na minha vida! Não tem jeito, sempre falo isso: banda autoral boa, quando faz uma releitura de um clássico, ARREBENTA. Que versão matadora!
 
 Quem gostou da banda, precisa ver e ouvir isso. Quem não gostou, idem. 

“Marvin” – Titãs (Versão da banda SUN)

P.S. – Para os WikiRockers de plantão não pegarem no meu pé: sim, é uma versão dos Titãs (por Sérgio Britto e Nando Reis) para Patches de Dunbar e Johnson. Fiquei tão empolgado que quase esqueci de mencionar. 😉

Fontes & Referências:

Facebook: https://www.facebook.com/bandasun

SoundCloud: https://soundcloud.com/bandasun/

YouTube: http://www.youtube.com/user/bandaSUN

Banda S.U.N – Rock Brasil, Nostálgico e Moderno

Banda_SUN_Manifesto_Bar_Rock_Universe

S.U.N – Ao vivo no Manifesto Bar

 Nem só de Hard Rock e Heavy Metal vive o mundo. O Rock é muito mais amplo do que isso, com várias bandas interessantes, mas muita gente ainda teima em não admitir, seja por vergonha, seja por mente fechada. A banda S.U.N, composta por Marco Leão (Vocal), Lafayeth Persaud (Guitarra), Serginho Souza (Baixo) e Gerson Reyes (Bateria), comprova o que digo pela qualidade, autenticidade e dignidade artística de seu trabalho.

 Com um Rock que mescla momentos suaves, grooves clássicos e um clima meio saudosista, mas ao mesmo tempo soando moderno, a S.U.N  faz o que acredita e bate de frente com o fluxo da cena em São Paulo e em boa parte do Brasil, produzindo excelentes músicas autorais, belas letras em Português e um som com cara de Rock Brasil.

 Sim, vocês leram corretamente: Rock Brasil. Maduro, consistente, bem composto, muito bem executado e não dando a mínima para os preconceitos engessados.

 Linhas de baixo e levadas de bateria muitíssimo bem entrosadas, daquelas que te fazem lembrar um pouco de cada década. Serginho e Gerson estão claramente se divertindo entre viradas e slaps. Os riffs e solos de guitarra de Lafayeth são seguros, consistentes e inspirados. Ele brinca muito bem com timbres e efeitos. É um guitarrista de pegada precisa, com técnica e feeling na medida certa.

Marco Leão: Vocal.

Marco Leão: Vocal

 Os vocais de Marco apresentam influências que vão da Black Music ao Hard Rock, tudo muito bem lapidado, com domínio de nuances e sotaque Pop no melhor sentido da palavra. Traduzindo: ele canta muito e sabe usar as técnicas sem exagerar, soar forçado ou disputar volume com os outros integrantes. Intercala a voz limpa e suave com drives, sem perder clareza, potência e afinação. Isso sem falar nas harmonias vocais que estão bem acima da média. Para quem não sabe, Marco era vocalista da Sunsarah – outra banda que todos deveriam conhecer, e pode-se dizer que foi o embrião da S.U.N. Estou sendo detalhista, pois dentro do Rock Brasil atual, não vejo praticamente ninguém se preocupar com isso, como se bastasse abrir a boca na frente do microfone para ser vocalista; como se o termo “Rock Brasil” excluísse qualidade, o que aliás, tornou-se uma comparação bastante equivocada devido à enxurrada de oportunistas que vemos surgir diariamente.

 Assisti a um único show deles no Manifesto e digo a vocês: são excelentes! Prefiro MIL vezes um Rock Nacional autoral de qualidade, com letras e arranjos de nível Top, a bandas cover de Hard ou Metal. Sempre curti covers, ainda acho algo bacana, até ajudo a divulgar vez por outra, só que vejo TANTA, mas TANTA banda autoral maravilhosa em vários estilos de Rock, que é quase um crime não lotar um Rock Bar para ao menos conhecê-las. Bom, mas isso é assunto para as pautas que estão em andamento no Rock Universe em 2013.

 Quer um conselho? Pense fora da caixa. Ouça fora da caixa.

Desde o Início – S.U.N

Se Prepara – S.U.N (Vídeo Oficial – Ensaio)

Fontes & Referências:

Facebook: https://www.facebook.com/bandasun

SoundCloud: https://soundcloud.com/bandasun/

YouTube: http://www.youtube.com/user/bandaSUN